Ministra pede aos médicos que avaliem situação económica do doente ao receitarem medicamentos

Ministra pede aos médicos que avaliem situação económica do doente ao receitarem medicamentos

 

Lusa   Nacional   26 de Jun de 2010, 15:27

A ministra da Saúde, Ana Jorge, apelou hoje, no Porto, aos médicos para que olhem para o enquadramento socioeconómico do doente quando prescrevem medicamentos.

“Aos médicos, que decidem a melhor terapêutica para o doente, pedimos que olhem para a pessoa que têm à sua frente, não apenas do ponto de vista clínico, mas tendo em conta o seu enquadramento socioeconómico”, afirmou Ana Jorge, na inauguração da Farmácia do Hospital S. João.

A ministra salientou que a adesão à terapêutica “depende, em muito, da capacidade de aquisição do medicamento”, garantindo o Estado uma comparticipação a 100 por cento para os cidadãos mais carenciados apenas “se forem prescritos e dispensados os medicamentos com preço mais baixo em cada grupo terapêutico”.

“Medicamentos mais baratos não significam hoje medicamentos de menor qualidade. Essa é uma ideia errada que é preciso contrariar, já que os [medicamentos] genéricos nos garantem a mesma eficácia e segurança”, frisou.

Ana Jorge referiu que, com o novo “pacote do medicamento”, que entrou em vigor em 01 de junho, o Governo conta “reduzir a despesa em cerca de 80 milhões de euros, sem, no entanto, beliscar as necessidades dos cidadãos”.

“Para tal contamos com a sensibilidade dos profissionais de saúde, médicos e farmacêuticos”, realçou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.