Marinha apela a cumprimento das regras dos sistemas de sinais de socorro dos barcos

Marinha apela a cumprimento das regras dos sistemas de sinais de socorro dos barcos

 

Lusa/AO online   Regional   19 de Fev de 2015, 11:28

A Marinha alertou esta quinta-feira para a necessidade da "utilização criteriosa" e cumprimento das regras dos sistemas de transmissão de sinais de socorro usados por embarcações, para evitar falsos alertas, como aconteceu na terça-feira.

"Durante o ano de 2014, o MRCC [Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo] de Ponta Delgada coordenou 190 ações de busca e salvamento, 95 das quais se revelaram ser falsos alertas. Dos falsos alertas, 33 foram originados pela utilização inadvertida ou negligente de EPIRB", adianta um comunicado do Comando da Zona Marítima dos Açores, assinado pelo comandante do Porto de Ponta Delgada, Filipe Matos Nogueira.

Segundo o Centro Coordenador de Busca e Salvamento Marítimo de Ponta Delgada, uma dessas situações ocorreu na terça-feira, na sequência de "um sinal de socorro emitido por uma radio-baliza", em relação "a uma área entre as ilhas do Faial e do Pico", o que originou operações de busca que envolveram vários agentes e meios da Polícia Marítima e da Força Aérea Portuguesa até ao inicio da noite, acabando por se verificar que era falso alerta.

De acordo com a Marinha, "a rádio-baliza (EPIRB -- Emergency Position Indicating Radio Beacon) registada numa embarcação de pesca desportiva, de bandeira norte-americana, tinha sido vendida a outra embarcação que se encontrava atracada em S. Roque do Pico, tendo o seu atual proprietário confirmado que entretanto a tinha abandonado e substituído por outra, sem ter cumprido os procedimentos obrigatórios para a sua desativação, desconhecendo o seu atual paradeiro, o que conduziu à classificação do sinal de socorro como falso alerta".

"Aproveita-se para alertar todos os utentes destes dispositivos de segurança para o escrupuloso cumprimento das regras de utilização a fim de evitar o seu acionamento indevido e consequentemente dos respetivos meios de socorro do Sistema Nacional para a Busca e Salvamento Marítimo", sublinha a Marinha.

As EPIRB são sistemas de comunicações que se enquadram no Sistema Global de Segurança e Socorro Marítimo (GMDSS -- Global Maritime Distress Safety System) e transmitem sinais de socorro via satélite, assemelhando-se a pequenas boias verticais, normalmente fixas na estrutura exterior das embarcações, segundo a Marinha, que afirma que "a utilização daqueles aparelhos e processo de desativação deve ser especialmente criterioso, de forma a prevenir falsos alertas como o que despoletou o caso de terça-feira".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.