Mais de metade dos condutores fiscalizados em operação da GNR estavam em infração

Mais de metade dos condutores fiscalizados em operação da GNR estavam em infração

 

Lusa/AO Online   Nacional   25 de Ago de 2014, 09:48

Mais de metade dos condutores fiscalizados numa operação da GNR para controlo da velocidade, que decorreu entre o dia 18 e domingo, estavam em infração, sobretudo por viajarem demasiado depressa, disse à Lusa fonte da entidade.

 

De acordo com a mesma fonte, o número de contraordenações registadas no período da operação, denominada Tispol-Speed Operation, chegou às 3.528, o que significa que mais de metade dos 6.600 condutores fiscalizados estavam em infração.

A operação, que foi promovida pela rede europeia da polícia de trânsito, visou, sobretudo, fiscalizar os limites de velocidade e decorreu nas estradas nacionais e regionais entre os dias 18 e 21 e nas autoestradas de 22 a 24.

A maior parte das contraordenações deveu-se a excesso de velocidade, que era “muito grave” no caso de 248 condutores.

No entanto, a GNR também detetou outros delitos, tendo detido sete pessoas, duas das quais por conduzirem alcoolizadas, quatro por não terem carta de condução e uma outra por ter a carta apreendida.

A GNR registou também infrações como excesso de carga nos veículos, faltas de inspeção e utilização de telemóveis pelos condutores, adiantou a mesma fonte da GNR.

A operação Tispol, organizada pela European Traffic Police Network, ocorreu em toda a Europa e mobilizou em Portugal 1.489 efetivos da GNR

Segundo adiantou a entidade militar, no primeiro semestre deste ano foram controlados mais de 4,1 milhões de condutores, dos quais cerca de 81 mil circulavam em excesso de velocidade.

Lisboa foi o distrito onde foram contabilizados mais excessos de velocidade, com 15.049, seguida de Leiria, com 10.465 e de Aveiro, com 8.163.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.