Madeira e Açores começaram "nova era de entendimento" com acordo na área das pescas

Madeira e Açores começaram "nova era de entendimento" com acordo na área das pescas

 

AO/Lusa   Regional   13 de Fev de 2016, 16:58

O secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia dos Açores, Brito Fausto, afirmou hoje que existe "um alinhamento político de estrelas" que permite começar "uma nova era de entendimento entre as duas regiões autónomas" portuguesas.

 

“O facto de estar plenamente implementado um dos protocolos [dos 10 assinados há uma semana entre os governos da Madeira e Açores], numa das áreas mais importantes que é as pescas e a aquicultura, é apenas o princípio de um relação que se quer fértil e duradoura”, declarou o governante açoriano no final de uma visita de trabalho de dois dias à Madeira e classificou de “extraordinariamente útil”.

Na opinião do governante açoriano, com a conjugação das situações políticas nos Açores, na Madeira e com um novo Governo na República “que tem expressamente no seu programa uma nova relação com as regiões autónomas e a valorização das autonomias como património nacional”, existe “um alinhamento político de estrelas que permite verdadeiramente começar uma nova era de entendimento entre as duas regiões autónomas”.

Brito Fausto destacou que o primeiro dos dez protocolos assinados há dez dias entre os governos da Madeira e Açores, aquando da visita do presidente do executivo madeirense, Miguel Albuquerque ao arquipélago açoriano, está operacionalizado e vai permitir que a frota madeirense passe “a ter acesso às águas açorianas com um sistema agilizado de obtenção de licenças” para pescar o peixe-espada preto.

Por seu turno, o secretário regional da Agricultura e Pescas da Madeira, Humberto Vasconcelos, complementou que este é “um recurso em abundância nos Açores e que os pescadores açorianos não o pescam permanentemente”.

“Queremos que esta pesca seja partilhada”, acrescentou, apontando que o objetivo é que as embarcações da Madeira que se desloquem para o efeito aos Açores incorporem pescadores daquela região para que possam “tirar proveito do conhecimento dos espadeiros [madeirenses]”, o que vai proporcionar maior rendimento para os profissionais dos dois arquipélagos.

O secretário regional dos Açores acrescentou que este protocolo também prevê a introdução de observadores de pescas na frota atuneira das duas regiões e realçou que a aquacultura, que tem projetos implementados na Madeira, é “um outro campo muito fértil para cooperação”.

Quanto ao secretário da Madeira, defendeu ainda que as duas regiões devem estar unidas para defender o setor das pescas junto da Comissão Europeia.

“Cada vez mais temos de defender a nossa pesca como pesca artesanal, que não pode ser tratada de igual forma em relação aos outros países europeus”, disse Humberto Vasconcelos.

O responsável madeirense sustentou que a Madeira e os Açores têm de “estar juntos nesta defesa dos pescadores” dos dois arquipélagos, porque “as quotas ao longo dos tempos têm sido diminuídas”, sendo necessário que existam objetivos específicos para as duas regiões autónomas nesta área.

“Achamos que nos dois governos através deste protocolo e desta forma de trabalhar poderão tirar no futuro proveito no sentido de defender os nossos pescadores”, concluiu.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.