Madagáscar está a sofrer grave seca que atinge cerca de um milhão de pessoas


 

Lusa/Açoriano Oriental   Internacional   6 de Dez de 2016, 11:07

Madagáscar sofre com uma grave seca que atinge cerca de um milhão de pessoas, que estão a passar fome devido às fracas colheitas e criando uma situação de crise humanitária.

 

Na semana passada caiu alguma chuva no sul do país, mas esta não foi suficiente para a atual estação de plantio ser bem-sucedida, esperando-se que esta terrível situação humanitária prolongue-se até 2017.

Segundo o representante da organização Catholic Relief Services em Madagáscar, Joshua Poole, os agricultores no sul do país começaram a plantar sementes devido às chuvas recentes, mas essas sementes podem ser desperdiçadas se não houver mais chuva para as plantações cresceram, disse hoje.

"Numa situação como esta, nós devemos agarrar-nos a qualquer esperança que tivermos", disse Poole.

Muitas famílias no sul de Madagáscar estão a vender as suas terras e pertences para sobreviver, de acordo com o Programa Alimentar Mundial (PAM) da ONU.

A agência da ONU referiu que a escassez de recursos o obrigou a cortar as rações para as pessoas que recebem ajuda.

As pessoas de algumas aldeias têm comido fruto de catos, porque não há outros alimentos disponíveis, de acordo com os integrantes de organizações humanitárias.

A África Austral tem experimentado uma das secas mais severas em 35 anos devido ao fenómeno climático El Niño, deixando milhões de pessoas em toda a região a precisar de ajuda alimentar.

O sul de Madagáscar, que já vinha sofrendo com a seca por vários anos, é uma das áreas mais atingidas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.