"Lóbi forte" dos Açores não passa pela existência de um gabinete em Bruxelas

"Lóbi forte" dos Açores não passa pela existência de um gabinete em Bruxelas

 

Lusa/AO online   Regional   21 de Dez de 2012, 14:13

O presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, reafirmou esta sexta-feira que um "lóbi forte" do arquipélago na Europa não passa pela existência de um gabinete em Bruxelas, mas pela colaboração de quem representa Portugal a diversos níveis.

“A existência de um lóbi forte dos Açores a nível europeu não depende da existência de um edifício que ostente uma placa referente aos Açores”, afirmou Vasco Cordeiro aos jornalistas, após uma audiência com a eurodeputada do PSD Maria do Céu Patrão Neves no Palácio de Santana, em Ponta Delgada.

Para Vasco Cordeiro, o lóbi açoriano em Bruxelas passa, sobretudo, pelo trabalho dos eurodeputados portugueses, pela representação de Portugal e por todas as forças que dão a conhecer as necessidades e especificidades dos Açores junto das instâncias europeias.

O chefe do executivo assegurou que o atual Governo Regional e o anterior (também do PS) têm feito uma “defesa acérrima, viva e veemente” dos interesses açorianos em Bruxelas e “contam com a colaboração daqueles que, a diferentes níveis de representação institucional de Portugal, contribuem para tal”.

Apesar de defender a existência de um gabinete açoriano em Bruxelas, à semelhança do que têm outras regiões ultraperiféricas, a eurodeputada social-democrata Maria do Céu Patrão Neves revelou que nas questões fundamentais para a região partilha das perspetivas do presidente do Governo Regional.

“Se realmente os interesses dos Açores têm de ser prevalecentes, então temos de trabalhar conjuntamente para ganhar eficácia na sua defesa no contexto europeu”, afirmou Patrão Neves, após a primeira audiência institucional com o novo presidente do governo açoriano.

A eurodeputada, que disse “nunca ter sentido do anterior executivo regional essa vontade para trabalhar em conjunto”, manifestou-se expectante quanto a este "novo princípio".

“Nós somos poucos numa região pequena e não nos podemos dar ao luxo de trabalhar em canais diferentes”, referiu.

Além da Pesca, da Agricultura e do próximo Quadro Comunitário de Apoio, a eurodeputada abordou no encontro com Vasco Cordeiro a disponibilidade da Comissão Europeia para financiar um POSEI (programa de apoio às regiões insulares) relativo aos transportes, nomeadamente nas ligações entre as nove ilhas açorianas.

“Um financiamento para alavancar uma linha que percorra todas as ilhas e consiga criar possibilidades aos nossos produtores. A Comissão Europeia está recetiva para um estudo que o demonstre. Temos aqui um espaço de trabalho conjunto”, salientou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.