Líder do PSD/Açores insiste que as 'low cost' vão voar para a Terceira "a breve trecho"

Líder do PSD/Açores insiste que as 'low cost' vão voar para a Terceira "a breve trecho"

 

LUSA/AO online   Regional   3 de Set de 2015, 18:54

O líder do PSD/Açores, Duarte Freitas, disse hoje esperar que as companhias aéreas de baixo custo comecem a operar para a ilha Terceira "a breve trecho", apesar de duas transportadoras terem dito que não o iam fazer.

"Anunciei que a breve trecho poderíamos ter 'low cost' na Terceira e tudo faremos para que tal se concretize, mesmo contra interesses políticos e comerciais que agora se denunciam aos olhos de todos", frisou, numa conferência de imprensa em Angra do Heroísmo.

As rotas entre as ilhas de São Miguel e Terceira com o continente português foram liberalizadas a 29 de março, mas apenas para São Miguel se iniciaram ligações de duas companhias áreas de baixo custo (Ryanair e EasyJet).

O líder regional social-democrata anunciou a 10 de julho que as companhias aéreas de baixo custo começariam a voar para a ilha Terceira "a breve trecho", sendo depois a informação confirmada pelo Ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares, Marques Guedes.

No domingo, numa entrevista ao jornal "Correio dos Açores", José Lopes, responsável pela EasyJet em Portugal, disse que a transportadores não pretendia voar para a ilha Terceira "a curto prazo", explicando que primeiro era preciso "ver como é que o mercado de Ponta Delgada evoluiu" para depois avaliar resultados.

Na quarta-feira, o presidente executivo da Ryanair, Michael O'Leary, disse, numa conferência de imprensa, que o Governo da República recusou uma proposta da companhia para voar para a ilha Terceira.

Para Duarte Freitas, é preciso ver estas declarações no âmbito do "jogo dos interesses comerciais que estão naturalmente e legitimamente por detrás destes processos".

O líder do PSD/Açores disse que não houve "qualquer impedimento" do Governo da República para que as companhias 'low cost' viessem para a ilha Terceira, até porque a rota está liberalizada desde 29 de março.

Questionado sobre os "interesses comerciais" contra os quais disse que era preciso trabalhar Duarte Freitas não especificou.

"É evidente que as empresas comerciais têm os seus interesses próprios e o Estado e as entidades públicas também têm obrigação de defender aquilo que são os interesses públicos e das populações. Naturalmente num processo negocial estes vários interesses estão dirimidos, até que se chegue a uma conclusão, que nós esperamos que seja a breve trecho", frisou.

Quanto aos "interesses políticos", o líder regional social-democrata também não apontou o dedo a ninguém, apelando apenas para que todos se coloquem "do lado das soluções", para além das "questiúnculas político-partidárias".

Questionado sobre o tempo que demorariam as 'low cost' a chegar à Terceira, o presidente do PSD/Açores disse que nunca apontou datas, nem nomes de companhias áreas e que fez bem porque "estes processos às vezes são mais complicados".

"Acho que tem que haver uma certa prudência não só ao falar das companhias que estão com a entidade de Estado a negociar, como também não devemos apontar datas em específico para não criarmos expetativas que se possam gorar. Aquilo que eu afirmo e posso comprovar perante os açorianos é este esforço que certamente vai ter resultados positivos", salientou.

Duarte Freitas realçou que outros anúncios que fez recentemente tiveram outros desfechos, reafirmando a confiança de que as 'low cost' vão começar a voar para a Terceira em breve.

"O trabalho que tivemos, ao longo de muitos meses, por enquanto ainda na oposição, já permitiu termos impostos mais baixos, tarifas aéreas mais baixas, um reforço das forças policiais e certamente com este trabalho e, apelando a que todos possam participar do lado das soluções e não do lado dos problemas, certamente a breve trecho, como referimos, vamos ter as companhias 'low cost' também a operar na ilha Terceira", sublinhou.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.