Lagoa reorganiza rede dispersa de núcleos museológicos

 Lagoa reorganiza rede dispersa de núcleos museológicos

 

Lusa/Açoriano Oriental   Regional   3 de Mar de 2017, 17:46

A Câmara Municipal da Lagoa vai reorganizar a sua rede de 12 núcleos museológicos dispersos pelo concelho, com o objetivo de potenciar estes espaços e atrair novos públicos.

"Estes núcleos são todos núcleos dispersos no território do concelho e vamos arranjar forma de lhes conferir uma ligação científica", afirmou o coordenador da Educação e Cultura na autarquia da Lagoa, Igor França, em declarações à agência Lusa.

Igor França explicou que a reorganização da rede de núcleos museológicos do concelho da ilha de São Miguel vai decorrer "ao longo dos próximos meses", através da inventariação e preparação dos conteúdos destes espaços, investindo na sua museografia e tornando a mensagem mais apelativa junto dos visitantes.

"Vamos apostar na comunicação e na imagem e propor também ao visitante, através da integração na plataforma 'Lagoa Cidade Inteligente', a possibilidade de se fazerem percursos no território que confiram coerência física a uma série de núcleos dispersos", referiu.

Segundo o coordenador, existem no concelho 12 núcleos que pertencem à câmara, juntas e privados, com os quais se pretende estabelecer parcerias organizadas num conceito de museu para candidatar à Rede Portuguesa de Museus.

"Este conceito de museu da Lagoa é um conceito hierarquizado em que nos propomos a fornecer a todos os núcleos uma orientação científica e que vai ter um centro físico que é o Convento de Santo António", acrescentou Igor França.

Paralelamente, a autarquia vai também apresentar uma proposta de reorganização dos espaços do convento, que inclui a igreja, o claustro e a casa das memórias, "espaços que evocam a vivência conventual", explicou.

Segundo Igor França, a ideia é criar também no Convento de Santo António "um conceito de coleções âncora que vão ter caráter duradouro", uma patente ao público neste espaço e outra na Casa da Cultura Carlos César.

No convento vai estar a coleção pertencente ao núcleo museológico do presépio, enquanto a Casa da Cultura vai acolher a exposição de arte da câmara, adiantou o responsável, referindo ainda que estes dois espaços vão ter sempre em paralelo mostras temporárias.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.