Património

Lagoa pretende classificar chaminé da fábrica do álcool

Lagoa pretende classificar chaminé da fábrica do álcool

 

Lusa / AO online   Regional   30 de Jun de 2010, 18:09

A Câmara da Lagoa, ilha de S. Miguel, reafirmou esta quarta-feira a intenção de classificar a chaminé da fábrica do álcool da freguesia do Rosário como imóvel de interesse municipal.
Desactivada há cerca de 40 anos, a unidade em causa pertence à empresa SINAGA, recentemente adquirida pelo Governo Regional dos Açores.

“Mesmo com o anúncio, por parte do Governo, que esta está em processo do seu desmantelamento para travar a degradação, não está em causa a demolição da Chaminé da fábrica e a autarquia continua empenhada em classificá-la assente nos valores como a antiguidade, autenticidade e singularidade” sublinha uma nota camarária ao considerar unidade como “um marco representativo da indústria na Lagoa, um resquício arquitectónico único ao nível da construção”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.