Caso "Submarinos"

Jürgen Adolf diz desconhecer eventuais "pagamentos indevidos"


 

Lusa / AO online   Nacional   1 de Abr de 2010, 16:52

O cônsul honorário de Portugal em Munique, Jürgen Adolf, indiciado por tráfico de influências e corrupção no caso dos submarinos, disse esta quinta-feira desconhecer qualquer "pagamento indevido" que tenha existido, e repudiou as suspeitas do seu envolvimento.
"Repudio, desde já, quaisquer das alegadas e infames suspeitas que sobre mim têm vindo a incidir e, principalmente, que alguma vez tenha deliberada e conscientemente prejudicado de alguma forma os interesses do Estado português ou violado deveres inerentes à minha função de cônsul honorário", afirmou Jürgen Adolf, num comunicado enviado à Agência Lusa, através do escritório de advogados que o representa.

"Se neste âmbito existiu algum pagamento indevido, não foi com o meu conhecimento, auxílio ou consentimento", acrescentou Jürgen Adolf, que ocupou durante 15 anos o cargo de cônsul honorário na capital da Baviera.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.