Japão reativa terceiro reator nuclear do país após acidente de Fukushima em 2011


 

Lusa/AO online   Internacional   12 de Ago de 2016, 11:19

Um reator nuclear que estava parado há mais de cinco anos na sequência do acidente em Fukushima foi hoje reativado no Japão, país onde apenas outros dois estão atualmente a operar.

 

"A unidade 3 de Ikata [sudoeste] retomou a operação às 09:00 locais [01:00 em Lisboa]”, informou a empresa Shikoku Electric Power em comunicado.

O Ikata 3 usa um tipoprevisto de combustível (Mox) considerado mais perigoso pelos ecologistas, por misturar óxido de urânio e plutónio reciclados.

Este reator tinha parado de funcionar em abril de 2011, para uma manutenção de rotina, mas acabou por não retomar as operações na sequência da entrada em vigor de novas normas mais restritas para fazer face aos riscos de catástrofe natural, de acidente de avião ou de atentado.

Para retomar as operações foram necessários novos exames e um certificado técnico da Autoridade de Regulação Nuclear, assim como a luz verde das autoridades locais.

Atualmente estão apenas em funcionamento os reatores Sendai 1 e 2, também localizadas no sudoeste do país.

Os dois foram reativados em agosto e outubro de 2015. Dadas as novas regras, deverão ser suspensos novamente em setembro, no caso do primeiro reator, e em dezembro, no caso do segundo, para serem submetidos a manutenções de rotina, obrigatórias por um período mínimo de dois meses.

Após o desastre nuclear em Fukushima, desencadeado por um terramoto seguido de 'tsunami' em março de 2011, o Japão reduziu o seu parque nuclear de 54 para 42 unidades, compensando a redução com a exploração de centrais térmicas e com um pequeno aumento na quota da eletricidade a partir de fontes renováveis de energia.

O acidente nuclear de Fuskushima foi o segundo maior da hitória, a seguir ao de Chernóbil.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.