Indonésia promete investigação após descoberta de partes do avião

Indonésia promete investigação após descoberta de partes do avião

 

Lusa / AO online   Internacional   3 de Jan de 2015, 11:14

A Indonésia garantiu hoje que vai investigar as violações de voo efetuadas pelo avião da AirAsia, que se despenhou no domingo com 162 pessoas a bordo, depois das equipas de buscas terem encontrado duas grandes partes da aeronave.

 

O ministério dos Transportes indonésio declarou hoje que o avião voava num horário não autorizado, quando se despenhou, e que foi congelada a permissão para a companhia operar a rota que liga Surabaia a Singapura, até ficarem concluídas as investigações.

Além disso, adiantou que serão ainda examinadas outras companhias aéreas no país.

"Vamos realizar uma auditoria ou uma avaliação a todas as companhias aéreas na Indonésia, nomeadamente sobre se existem violações relacionadas com a rota, a duração e o horário", disse.

Na sexta-feira à noite foram já encontradas duas grandes partes do Airbus A320-200 no Mar de Java, ao largo da ilha de Bornéu, aumentando as esperanças em torno do aparecimento dos restantes corpos e das caixas negras, cruciais para determinar a causa do acidente.

Até agora, as equipas de buscas já recuperaram 30 corpos e a Bloomberg noticia hoje que as mesmas encontraram corpos ainda presos nos assentos e entre os destroços do avião.

O horário do voo do Airbus 320-200 da companhia aérea de baixo custo malaia, que descolou da cidade indonésia de Surabaia, com destino a Singapura, não tinha sido validado, afirmou o diretor-geral do transporte aéreo, Djoko Murjatmodjo.

“Violou a autorização da rota dada, o horário dado, esse é o problema”, disse à agência AFP, acrescentando que, por isso, a licença da companhia aérea AirAsia para operar essa rota foi congelada até que as investigações ao acidente sejam dadas como concluídas.

Em comunicado, o porta-voz do Ministério dos Transportes J.A. Barata indica que a AirAsia não tinha ‘luz verde’ para fazer a ligação Surabaia-Singapura aos domingos e que não tinha pedido para mudar o horário dos voos.

As equipas que participam nas buscas pela fuselagem e corpos dos passageiros do Airbus A320-200 contam atualmente com a ajuda de investigadores estrangeiros para localizar as caixas negras.

O presidente da AirAsia Indonésia, Sunu Widyatmoko, disse aos jornalistas que a empresa não quer comentar até serem conhecidos os resultados da investigação, acrescentando que a companhia vai "cooperar plenamente com o governo nesse processo de avaliação".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.