Ilha do Pico quer mais voos para Lisboa e "charters" para potenciar turismo

Ilha do Pico quer mais voos para Lisboa e "charters" para potenciar turismo

 

  Regional   1 de Jun de 2015, 13:56

O Conselho de Ilha do Pico, nos Açores, defende mais ligações aéreas ao continente na época alta e a possibilidade de voos "charter" para potenciar os investimentos feitos no setor do turismo nos últimos anos.

Este é um dos temas que os conselheiros do Pico vão apresentar ao Governo Regional dos Açores numa reunião na terça-feira, na vila da Madalena, segundo o memorando para esse encontro que o Conselho de Ilha enviou ao executivo, a que a agência Lusa teve hoje acesso.

Os conselheiros dizem, no documento, que o Pico tem vindo "paulatinamente a assumir-se nos últimos anos como um polo dinamizador da economia do triângulo" (as ilhas do Faial, São Jorge e Pico) e que foram feitos vários investimentos no setor do turismo, pelo que "torna-se necessário, para dar seguimento a esta realidade, que sejam reforçadas as acessibilidades a esta ilha, de forma a garantir que o turismo continue a crescer sustentadamente".

Em concreto, a ilha pede mais voos para Lisboa na época alta e que seja estudada a viabilidade de voos 'charter' para o Pico.

Os transportes marítimos serão outros dos assuntos abordados na reunião de terça-feira, que se realiza no âmbito da visita anual do Governo Regional ao Pico, como prevê o Estatuto Político-Administrativo dos Açores.

Neste caso, o Conselho de Ilha insiste em que sejam repostas as cinco ligações diárias de barco ao Faial na época baixa e pede que as ligações a São Jorge tenham "dois toques" no Pico (em São Roque e na Madalena), enquanto não são repostas as condições de segurança em São Roque, onde a operação está a ser feita com limitações desde o final do ano passado na sequência de um acidente em que morreu uma pessoa.

O Conselho de Ilha quer ainda saber em que ponto está o projeto do porto e terminal de passageiros de São Roque.

Na área da saúde, os conselheiros querem informações sobre incentivos à fixação de médicos e a calendarização da reestruturação dos serviços prevista para a ilha.

Os conselheiros têm, por outro lado, dúvidas sobre as mudanças introduzidas nas regras dos apoios à manutenção e recuperação de vinhas e voltam a pedir uma "solução urgente" para os estaleiros navais da Madalena, cuja exploração o executivo açoriano tenta negociar há anos com "potenciais parceiros", como refere o memorando da reunião de terça-feira.

Durante esta visita estatutária ao Pico, o Governo Regional vai reunir-se com entidades locais, visitar projetos e obras e receber todas as pessoas da ilha que manifestarem esse interesse, a partir das 18:00, na escola de São Roque.

Da agenda do presidente do executivo, Vasco Cordeiro, fazem parte visitas a zonas de vinha em recuperação e à obra de requalificação da lota da Madalena e o lançamento da primeira pedra de um centro de noite na Piedade, Lajes do Pico.

Durante estes dias, será também inaugurado um Centro de Acolhimento e Reabilitação de Aves Selvagens.

O Pico, no grupo central dos Açores, tem uma população que ronda os 14.100 habitantes, segundo os censos de 2011.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.