Homem dado como morto regressa a casa 23 anos depois

 Homem dado como morto  regressa a casa 23 anos depois

 

Lusa/AO online   Internacional   1 de Ago de 2012, 12:20

Moslemuddin Sarkar, que estava desaparecido desde 1989 e a família o dava como morto desde então, regressou na terça-feira a casa, depois de a Cruz Vermelha o ter descoberto numa prisão em Karachi, no Paquistão.

As autoridades paquistanesas libertaram Sarkar, de 52 anos, na noite de segunda-feira e deportaram-no imediatamente.

À sua espera no aeroporto de Daca estava o irmão, Sekandar Ali, que não acreditava que voltaria a ver Sarkar.

Sarkar saiu de casa numa manhã de 1989 e disse à família que iria regressar ao trabalho no porto de Chittagong, no Bangladesh, não tendo dado mais notícias. O seu desaparecimento levou o irmão Ali a procurá-lo no porto, mas ali informaram-no que Sarkar não tinha regressado ao trabalho.

Mesmo depois do seu regresso, Sarkar continua relutante em explicar o que lhe aconteceu e como acabou numa prisão no Paquistão.

“Atravessei a fronteira para a Índia em 1989 e fui para Nova Deli depois de ter estado alguns meses nos Estados indianos de Assam e Meghalaya. Depois casei em Nova Deli, mas fui apanhado na fronteira entre a Índia e o Paquistão quando estava a tentar entrar neste último país em 1997 por não ter documentos de viagem”, disse.

Sarkar acrescentou que cumpriu 15 anos de prisão, sem dar mais pormenores.

O Paquistão e a Índia têm uma relação tensa e frequentemente detêm cidadãos dos seus países por longos períodos de tempo por terem entrado no território do outro.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.