Pesca

Governo Regional debate na 2ªfeira com parceiros gestão dos recursos pesqueiros

Governo Regional debate na 2ªfeira com parceiros gestão dos recursos pesqueiros

 

Lusa/AO Online   Regional   2 de Ago de 2012, 06:32

O Governo Regional agendou para a próxima segunda feira uma reunião com as associações da pesca, Federação das Pescas e investigadores da Universidade dos Açores para debater a gestão dos recursos pesqueiros da região.

 

A decisão do executivo açoriano decorre do alerta lançado na terça-feira pela Cooperativa Porto de Abrigo, que perante o impedimento de captura de algumas espécies por esgotamento da quota exigiu das autoridades "soluções imediatas"

"Os pescadores ficam impedidos de pescar espécies que pesam muito nos seus rendimentos a partir de agosto" referiu em comunicado a organização de produtores da pesca, om sede na ilha de S. Miguel, nos Açores.

O gabinete do subsecretário regional das Pescas adiantou hoje que das 96 espécies diferentes capturadas no Mar dos Açores, no corrente ano, apenas 14 têm quota atribuída, sendo a definição da quota uma competência da União Europeia.

"Algumas das espécies que não poderão ser pescadas têm uma quota comum, sendo capturadas pelas frotas açoriana, madeirense e continental", referiu o Governo Regional, alegando que no caso do alfonsim e do imperador o limite da quota "foi atingido em julho, à semelhança dos anos anteriores".

No início de julho, o Governo Regional, em articulação com a Federação das Pescas dos Açores, propôs ao Governo da República uma medida de gestão a implementar em 2013, que permitirá continuar a pescar somente imperador uma vez atingida 80% da quota, "de forma a que a pescaria não seja fechada durante os próximos anos".

O executivo refere, ainda, que também já desencadeou junto do Governo da República o processo de troca de quotas de atum-patudo por atum-voador junto das administrações espanhola e francesa à semelhança do ano passado.

"Nos primeiros sete meses do corrente ano foram vendidos em lota 96 espécies diferentes que foram capturadas no Mar dos Açores", referiu o executivo, acrescentando que as descargas destas espécies atingiram as 9.122 toneladas e os 25, 3 milhões de euros, o que representou um aumento de 5,1 % face a igual período do ano anterior.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.