Governo já pediu encontro a António Costa para abordar "questões pendentes"


 

Lusa/AO online   Regional   4 de Dez de 2015, 13:53

O presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, anunciou ter pedido um encontro ao primeiro-ministro, António Costa, para abordar "questões pendentes" no relacionamento entre os dois executivos.

 

"Eu tive a oportunidade já de endereçar uma carta ao primeiro-ministro, solicitando um encontro, não apenas para apresentação de cumprimentos, mas também para uma primeira abordagem a um conjunto de questões que estão pendentes no relacionamento entre os Açores e o Governo da República, e certamente que a seu tempo será tornada pública a data desse encontro", disse Vasco Cordeiro, em Ponta Delgada.

Destacando o interesse manifestado pelo primeiro-ministro para, "o mais rapidamente possível", se reunir com os governos regionais dos Açores e da Madeira, Vasco Cordeiro afirmou que da parte da região a que preside há o desejo de que "esse encontro possa acontecer" e se possa "avançar no tratamento das questões que estão pendentes" entre os dois executivos.

Sobre as matérias que poderão ser objeto de discussão com o primeiro-ministro, o presidente do Governo Regional apontou o mar, os serviços do Estado no arquipélago, a RTP/Açores, a Universidade dos Açores e o Estabelecimento Prisional de Ponta Delgada.

O primeiro-ministro disse na quarta-feira, na Assembleia da República, que quer reunir-se "tão breve quanto possível" com os presidentes dos governos regionais da Madeira e dos Açores.

Os encontros, advogou no debate sobre o programa do XXI Governo Constitucional, servirão para "procurar articular aquilo que deve ser o esforço e necessidades de articulação entre o Governo da República e os governos regionais".

"Em diálogo, teremos com certeza condições para alcançar as soluções mais adequadas dentro daquilo que são os limites que os governos regionais e o Governo da República se confrontam", acrescentou, demonstrando saber que na Madeira há o pedido para a construção de um novo hospital e nos Açores há a vontade de ser implementada uma nova prisão.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.