Governo dos Açores rejeita ampliação da pista do aeroporto do Pico

Governo dos Açores rejeita ampliação da pista do aeroporto do Pico

 

Lusa/AO Online   Regional   25 de Jul de 2017, 08:09

O presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, disse hoje não estar prevista qualquer intervenção para aumentar a pista do aeroporto da ilha do Pico.

“O Governo [Regional] o que tem é - e eu próprio tenho - um compromisso eleitoral de melhoria da operacionalidade do aeroporto do Pico através de uma intervenção que se designa por ‘grooving’, ou seja, são ranhuras na pista que aumentam a aderência das aeronaves à pista”, afirmou aos jornalistas Vasco Cordeiro, para acrescentar não estar "prevista qualquer intervenção ou investimento quanto à ampliação da pista do aeroporto do Pico".

O governante falava na Madalena após a reunião do Conselho de Ilha do Pico ao ser questionado sobre a petição com 2.351 [a altura, em metros, do ponto mais alto de Portugal, a montanha do Pico] assinaturas que reclama o aumento da pisca do aeroporto.

Vasco Cordeiro adiantou que o concurso público “para a sua realização e, portanto, para o cumprimento deste compromisso, será lançado no final deste ano”.

Quanto ao valor do investimento, a secretária regional dos Transportes e Obras Públicas, Ana Cunha, que substituiu Vítor Fraga no cargo este mês, adiantou na reunião com os membros do Conselho de Ilha que o investimento é da ordem dos 420 mil euros.

Uma petição com 2.351 assinaturas foi enviada no sábado ao parlamento dos Açores a reivindicar o aumento da pista do aeroporto do Pico, alegando constrangimentos na operação das aeronaves de médio curso.

Nesse dia, o primeiro subscritor da petição, Ivo Sousa, explicou à agência Lusa que a petição pública "Pelo aumento das condições de operacionalidade do aeroporto da ilha do Pico" solicita ao Governo dos Açores o aumento da pista e que esta seja ranhurada (com aplicação do 'grooving'), em toda a sua extensão, para minorar os efeitos adversos para as aterragens provocados pela chuva.

Sobre a questão suscitada pelo Conselho de Ilha relativamente à transportadora aérea SATA, reivindicando, além da “reposição do número de lugares nas ligações, também o aumento” destes, Ana Cunha informou que a oferta global de lugares neste verão IATA é superior ao do ano transato na ilha do Pico.

IATA é a sigla inglesa para Associação Internacional de Transporte Aéreo. O verão IATA compreende os meses de abril a outubro.

A presidente do Conselho de Ilha, Sandra Rodrigues, considerou o encontro com o executivo açoriano “bastante positivo”.

“O Governo Regional foi muito claro nas suas explicações. (…). Não houve questão nenhuma que nos fosse respondida de uma forma que não fosse positiva relativamente às nossas expectativas. Nós sabemos que tudo tem o seu tempo e que não podemos exigir obras para amanhã”, adiantou.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.