Governo dos Açores espera "tranquilidade total" no novo ano letivo

Governo dos Açores espera "tranquilidade total" no novo ano letivo

 

Lusa/AO Online   Regional   13 de Set de 2016, 12:51

O secretário da Educação e Cultura dos Açores, Avelino Meneses, disse hoje esperar uma "tranquilidade total" no novo ano letivo na região, que vai ter menos cerca de 1.200 alunos.

 

“Creio que à semelhança do ocorrido nos anos anteriores, vamos abrir mais um ano letivo nos Açores amanhã (quarta-feira) com uma tranquilidade que eu espero que seja total”, afirmou à agência Lusa Avelino Meneses.

Segundo o governante, “os professores foram atempadamente colocados" e "espera os estudantes um parque escolar relativamente renovado”, dado que o executivo açoriano vai inaugurar nos próximos dias escolas na Ribeira Grande, ilha de São Miguel, e nas Lajes do Pico.

Acresce que foram efetuados “trabalhos de manutenção e de beneficiação em muitas unidades orgânicas” do sistema educativo regional, adiantou Avelino Meneses.

De acordo com informação da tutela, com a entrada em funcionamento da nova escola básica e integrada da Ribeira Grande encerram dois estabelecimentos de ensino neste concelho. Nas Lajes do Pico fecham quatro.

“Na Terceira foi encerrada a escola da Casa da Ribeira, concelho da Praia da Vitória, que tinha oito alunos, os quais foram distribuídos por três escolas, de acordo com a conveniência dos encarregados de educação”, esclareceu.

Os dados provisórios da Secretaria Regional da Educação e Cultura revelam que o ano letivo 2016/2017 arranca com menos 1.174 alunos face ao ano anterior, num total de 38.626 no ensino público.

Sobre esta diminuição, Avelino Meneses considerou ser “um dado inultrapassável” que “decorre das tendências da demografia”, sendo um problema dos Açores, do país e do ocidente “de uma forma geral”.

Neste ano letivo, exercerão funções letivas no sistema educativo regional 4.834 docentes e o funcionamento das escolas da rede pública é assegurado por cerca de 2.860 técnicos e auxiliares.

Avelino Meneses destacou, por outro lado, que este será o segundo ano da implementação do “Prosucesso”, plano integrado de promoção do sucesso escolar, destacando que a prioridade “é o combate ao insucesso escolar”.

“Este Prosucesso foi um programa delineado para que nenhum dos nossos alunos ficasse para trás”, declarou, explicando que no ensino básico esta iniciativa “insiste em acompanhamento, acompanhamento e mais acompanhamento para identificação precoce de todos os atrasos” dos alunos.

No ensino secundário, o programa contempla “a diversificação de vias pedagógicas e aposta na procura e no encontro de uma solução para cada estudante”.

Avelino Meneses salientou, contudo, que “nesta luta titânica”, o Governo Regional “não pode obviamente fazer tudo sozinho”

“Tem de procurar parceiros e isso tem de passar necessariamente e uma vez mais pelo empenhamento dos professores e pela responsabilidade das famílias indispensável na educação dos filhos”, acrescentou.

As aulas arrancam na quinta-feira em todo o arquipélago, mas na quarta-feira, dia designado de “Prosucesso”, é feita a receção à comunidade educativa.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.