Governo dos Açores contra criação de comissão para o centro de investigação do mar

Governo dos Açores contra criação de comissão para o centro de investigação do mar

 

Lusa/AO Online   Regional   1 de Set de 2016, 19:00

O secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia dos Açores considerou hoje "ser contraproducente" criar uma comissão científica regional no âmbito do projeto do Centro Internacional de Investigação e das Ciências do Mar, uma proposta do BE.

Fausto Brito e Abreu, que foi hoje ouvido na delegação de Ponta Delgada do parlamento regional sobre esta matéria, na Comissão de Assuntos Parlamentares, Ambiente e Trabalho, acrescentou que a proposta de resolução da deputada do Bloco de Esquerda Zuraída Soares sobre esta matéria "não faz sentido nesta altura", considerando-a mesmo "despropositada".

A proposta de resolução do Bloco de Esquerda defende que se crie uma comissão científica para elaboração dos objetivos e competências do Centro Internacional de Investigação e das Ciências do Mar, com base na Universidade dos Açores, no prazo de 30 dias, devendo esta apresentar em 90 dias, após a sua constituição, de forma pública, as conclusões e linhas gerais do projeto.

Fausto Brito acentuou que não vê “nenhuma mais valia” na criação da comissão científica proposta pelo BE, tendo recordado que o processo do centro de investigação internacional está a ser liderado pelo Governo da República.

O governante acrescentou que o Governo dos Açores tem vindo a acompanhar todo o processo, designadamente através da sua presença nas iniciativas que têm tido lugar no âmbito deste dossier no país e no estrangeiro.

Considerou ainda ser mais importante aproveitar as atuais condições políticas favoráveis que existem por parte do Governo da República e nos Estados Unidos, através de Ernest Moniz, secretário da Energia, para avançar com o projeto.

O secretário regional dos Açores recordou as potencialidades dos Açores no quadro de uma cooperação transatlântica, apontando como exemplos as condições singulares para o estudo das alterações climáticas, bem como no interface entre o clima e os oceanos, a par das tecnologias espaciais, onde se poderá lançar microssatélites.

Zuraída Soares, a proponente da proposta do BE, em declarações aos jornalistas, à margem da comissão parlamentar, declarou que quem integraria este organismo seriam cientistas da região, do país e internacionais que tenham desenvolvido trabalho de investigação na área do mar.

A parlamentar referiu que com a criação de uma comissão científica se pretende que os cientistas debatem, analisam e se pronunciem sobre a natureza, objetivos e competências do projeto, bem como sobre a forma do futuro centro internacional.

“Sobre esta comissão científica, o secretário regional diz que esta não é necessária porque o Governo Regional tem sido convidado pelo Governo da República para participar em vários fóruns onde tem sido debatido o mar de todas as formas e feitios”, declarou Zuraída Soares, que acrescentou que “estamos a falar do nosso mar”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.