Gabinete conjunto dos Açores e da Madeira em Bruxelas permite defender interesses comuns

Gabinete conjunto dos Açores e da Madeira em Bruxelas permite defender interesses comuns

 

Lusa/Açoriano Oriental   Regional   31 de Mar de 2017, 16:27

Os presidentes dos governos dos Açores e da Madeira consideraram que o gabinete de representação conjunta das duas regiões, que abriu em Bruxelas, vai permitir defender os interesses dos dois arquipélagos.

 

"Este é um espaço - na nossa perspetiva e acredito que também no caso da Madeira -- não de representação do Governo, mas da representação da região", declarou o chefe do executivo açoriano, Vasco Cordeiro, notando que isto "faz recair também" sobre as forças vivas das regiões "a responsabilidade sobre aquilo que deve ser e que será este espaço".

Segundo Vasco Cordeiro, a juntar ao trabalho desenvolvido pela Representação Permanente de Portugal junto da União Europeia (REPER), pelos eurodeputados e pelas instituições da União Europeia, passa a existir com o gabinete "mais este instrumento para ajudar a promover e a defender os interesses dos Açores e os interesses da Região Autónoma da Madeira".

Para o chefe do executivo, este gabinete de representação não é "nem concorrente, nem alternativo" à REPER.

"É mais um instrumento complementar que permitirá, pelo menos numa primeira fase, um foco mais próximo, mais acentuado em relação às questões que dizem respeito às regiões ultraperiféricas", adiantou, para acrescentar que "esta é a casa dos Açores e a casa da Madeira em Bruxelas" e desafiou a que a utilizem.

Já o presidente do Governo da Madeira, Miguel Albuquerque, salientou que o gabinete concretiza um compromisso dos executivos das regiões autónomas, no sentido da concertação das posições "no contexto nacional e europeu" e no trabalho em conjunto "na defesa dos interesses comuns".

"É importantíssimo, numa altura em que a União Europeia vive momentos de reconfiguração geopolítica, em que se acentuam as interrogações e as incógnitas relativamente ao futuro desta instituição fundamental, que a Madeira e os Açores tenham uma posição física reforçada aqui em Bruxelas", frisou Miguel Albuquerque, assinalando que este espaço, localizado na praça Schuman, junto ao edifício da Comissão Europeia, não vai fazer concorrência à REPER.

Para o presidente do executivo madeirense, o gabinete é um "complemento fundamental da representação nacional".

Referindo-se às regiões ultraperiféricas, cujo 4.º fórum a elas dedicado terminou hoje em Bruxelas, Miguel Albuquerque destacou a sua importância, considerando serem "um alicerce fundamental da União Europeia", pelo que devem ser consideradas "como base de afirmação geoestratégica" no mundo.

Já a secretária de Estado dos Assuntos Europeus, Margarida Marques, referiu que "há décadas que havia a ambição de inaugurar aqui este gabinete".

"Tanto quanto sei somos as últimas regiões ultraperiféricas que aqui inauguram um gabinete", disse, realçando que ocorre num dia que tem um "valor simbólico" para as RUP, que entregaram um memorando à Comissão Europeia identificando necessidades e desafios destas regiões.

Para Margarida Marques, "não basta apresentar um memorando, é preciso um acompanhamento sistemático para que as políticas tenham efeito e o impacto pretendido", pelo que o momento é "importante" para os Açores e Madeira.

A 01 de fevereiro de 2016, os governos dos Açores e da Madeira, liderados pelo socialista Vasco Cordeiro e pelo social-democrata Miguel Albuquerque, respetivamente, subscreveram dez protocolos de cooperação, no final de um encontro entre os executivos regionais.

Os acordos abrangeram a criação do gabinete conjunto de representação e outros domínios, como a proteção civil, saúde, agricultura ou juventude.

Integram as RUP, além dos Açores e da Madeira, a comunidade autónoma espanhola Canárias, e os territórios franceses Guiana, Guadalupe, Martinica, Maiote, Reunião e Saint-Martin.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.