Furacão Irma foi o mais forte de sempre no Atlântico

Furacão Irma foi o mais forte de sempre no Atlântico

 

Lusa/AO online   Internacional   8 de Set de 2017, 16:10

O furacão Irma foi o mais forte de sempre no Atlântico, registando ventos de quase 300 Km/hora e gerando mais energia que as oito tempestades que o antecederam na região, anunciou a Organização Mundial de Meteorologia (OMM).


"O Irma é o furacão mais forte registado no Atlântico até à data", disse uma porta-voz da OMM, Clare Nullis, numa conferência de imprensa em Genebra.

O furacão manteve-se vários dias na categoria máxima da escala de Saffir-Simpson, devastando cidades inteiras nas Caraíbas, e perdeu força nas últimas horas, passando para a categoria 4 da mesma escala.

O Irma bateu vários recordes, entre os quais o de intensidade, ao manter por mais tempo que nenhum outro -- 37 horas consecutivas - ventos de quase 297 quilómetros por hora.

O recorde pertencia ao tufão Hayan, nas Filipinas em 2013, que manteve ventos dessa velocidade durante 24 horas.

O Irma bateu igualmente os recordes de energia acumulada, gerando em sete dias mais energia que a que foi criada pelos oito furacões que o antecederam na região, incluindo o Harvey, que devastou o Texas no final de agosto.

Questionada sobre a influência das alterações climáticas nestes fenómenos, a porta-voz citou conclusões do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas, segundo as quais o aquecimento global aumenta a força dos furacões.

Espera-se, nesse sentido, que se registem mais furacões de categoria 4 ou 5 no século XXI que os ocorridos no século XX.

A Organização Mundial de Meteorologia é uma agência especializada da ONU para a meteorologia e o clima.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.