Fraca formação dos pilotos em situações de emergência por trás do acidente da AirAsia em 2014

Fraca formação dos pilotos em situações de emergência por trás do acidente da AirAsia em 2014

 

Lusa/AO Online   Internacional   2 de Dez de 2015, 07:37

A investigação às causas do acidente do avião da AirAsia que se despenhou no Mar de Java no ano passado, matando 162 pessoas, aponta o dedo à formação deficitária dos pilotos para lidar com situações de emergência.

 

O relatório final da agência nacional de segurança nos transportes da Indonésia, conhecido na terça-feira, indicou que uma falha no sistema que controlava o leme do Airbus A320-200 esteve na origem uma série de acontecimentos que geraram o acidente.

No entanto, foi a decisão do piloto de reiniciar o sistema, que desligou o piloto automático do avião, e a inexperiência de voo em situações inesperadas e críticas que fez com que a aeronave ficasse numa situação da qual não conseguiu recuperar.

Segundo a investigação, “a tripulação não estava treinada para a recuperação” do voo numa situação em que a atitude ou velocidade da aeronave fique fora dos padrões normais de operação, acrescentando que o avião entrou numa “condição de bloqueio prolongado que foi além da capacidade de recuperação da tripulação”.

O relatório disponibiliza os mais recentes pormenores sobre a queda do avião a 28 de dezembro do ano passado, durante o que deveria ter sido um voo de rotina entre a cidade indonésia de Surabaia e Singapura.

Os corpos de 56 pessoas nunca foram recuperados, apesar de uma extensa operação internacional de busca.

Os investigadores tinham inicialmente atribuído o acidente às más condições atmosféricas, mas novas descobertas mostram que falhas no equipamento e formação desadequada deram também o seu contributo.

Uma falha mecânica no sistema de leme – que já tinha causado problemas 23 vezes no ano anterior – lançou repetidos alertas aos pilotos.

O copiloto assumiu o controlo enquanto o piloto tentava resolver a falha, mas não foi capaz de lidar com a situação e o avião despenhou-se.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.