Fotógrafo de origem portuguesa ferido com gravidade no Afeganistão

Fotógrafo de origem portuguesa ferido com gravidade no Afeganistão

 

Lusa/AO Online   Internacional   23 de Out de 2010, 10:38

Um fotógrafo de origem portuguesa que trabalha para o New York Times ficou gravemente ferido quando pisou uma mina no sul do Afeganistão, segundo fonte do jornal norte-americano citado pelas agências internacionais.

João Silva, que nasceu em Lisboa há 44 anos, ficou ferido nas pernas depois de ter pisado uma mina, quando acompanhava solados norte americanos numa patrulha na província de Kandahar.

De acordo com o New York Times, João Silva foi levado de helicóptero para a base aérea de Kandahar da Força Internacional de Assistência e Segurança da NATO.

O fotógrafo nascido em Lisboa fez a cobertura da guerra do Afeganistão, do Iraque, dos Balcãs e do conflito do Médio Oriente, tendo recebido vários prémios pelo seu trabalho.

João Silva é um dos quatro co-protagonistas do livro e filme “Bang-Bang Club”, que narra as vidas dramáticas de quatro fotojornalistas sul-africanos, que cobriram o período de mais violência na África do Sul, na transição do ‘apartheid’ para a democracia.

O fotógrafo nasceu em Lisboa em 1966 e partiu para Moçambique na juventude.

Começou a fotografar aos 23 anos, e foi na África do Sul que se iniciou no fotojornalismo, no jornal regional “Alberton Record”, em 1989.

Notabilizou-se no “Star" de Joanesburgo para onde se mudou em 1991, nas agências internacionais Reuters e Associated Press, ao serviço das quais viajou por todo o mundo para captar imagens de guerra. Afeganistão, Iraque, Angola, Sudão, foram destinos do profissional enquanto captava os horrores da violência política da sua pátria de adopção.

Desde 1996, está ligado contratualmente ao New York Times, ao serviço do qual cobre regularmente a guerra no Iraque, o Afeganistão e países africanos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.