Filho de Donald Trump encontrou-se com advogada russa para obter informações sobre Clinton

Filho de Donald Trump encontrou-se com advogada russa para obter informações sobre Clinton

 

Lusa/AO Online   Internacional   10 de Jul de 2017, 07:39

O filho mais velho do Presidente norte-americano disse, no domingo, que se encontrou com uma advogada ligada ao Kremlin pouco depois de o pai assegurar a nomeação republicana, para tentar conseguir informações prejudiciais sobre Hillary Clinton.

O jornal New York Times citou conselheiros da Casa Branca que foram informados sobre o encontro e disseram que Donald Trump Jr. concordou com a reunião depois de lhe ter sido prometido informação comprometedora sobre a então nomeada democrata.

O encontro em junho na Trump Tower com a advogada Natalia Veselnitskaya envolveu Trump Jr., o cunhado Jared Kushner e Paul Manafort, diretor da campanha.

A existência deste encontro foi apenas divulgada recentemente aos dirigentes governamentais e confirmada no sábado por representantes de Trump Jr. e Kushner, após um artigo do jornal.

Em comunicado, no domingo, o filho mais velho do Presidente não confirmou que lhe tenha sido prometida informação prejudicial sobre Clinton.

Trump Jr. disse que uma pessoa que conhecia do concurso Miss Universo 2013 lhe pediu para ter uma reunião com alguém que poderia ter informação útil para a campanha do seu pai. Segundo o primogénito de Trump, ele desconhecia o nome da pessoa com quem se ia encontrar.

Durante o encontro, a advogada disse ter informação de que “indivíduos ligados à Rússia estavam a financiar o Comité Nacional Democrata” e a apoiar Clinton, disse Trump Jr.

“Nenhum pormenor ou outra informação foi disponibilizada ou oferecida. Rapidamente se tornou claro que ela não tinha qualquer informação significativa”, disse, acrescentando que o atual Presidente dos Estados Unidos não teve conhecimento do encontro.

No sábado, Trump Jr. tinha descrito o mesmo encontro como “uma curta reunião introdutória”, durante a qual os três discutiram um programa desativado que permitia a cidadãos norte-americanos adotarem crianças russas. A Rússia pôs fim às adoções em resposta às sanções norte-americanas, após a morte, em 2009, de um advogado detido que tinha falado sobre um escândalo de corrupção.

Segundo Trump Jr., a advogada encaminhou a conversa para a adoção de crianças russas, o que acreditou ser a verdadeira agenda do encontro. A ideia de que teria informações úteis à campanha terá sido apenas um pretexto para a reunião, disse.

“Interrompia-a e disse-lhe que o meu pai ainda não era um dirigente eleito, mas sim um cidadão privado, e que os comentários e preocupações dela deviam ser feitos se e quando ele ocupasse um cargo público”, descreveu no comunicado.

Sobre o caso, Mark Corallo, porta-voz da equipa legal de Trump, disse apenas: “O Presidente não estava informado e não participou no encontro”.

Ao contrário de Kushner, Trump Jr não pertence à administração e não tem de divulgar os seus encontros com estrangeiros. Segundo o jornal, esta reunião foi dada a conhecer recentemente a investigadores do Governo quando o filho do Presidente preencheu uma versão revista de um formulário necessário para obter “um passe” para ter acesso a informação confidencial.

De acordo com o New York Times, Veselnitskaya é conhecida pelas tentativas de contornar as sanções contra violações de direitos humanos da Rússia. Segundo o jornal, entre os seus clientes estão empresas estatais e o filho de um alto dirigente governamental cuja empresa estava a ser investigada pelos Estados Unidos na altura do encontro.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.