Festival de cogumelos realiza-se em novembro no Fundão sem utilização de plásticos

Festival de cogumelos realiza-se em novembro no Fundão sem utilização de plásticos

 

Lusa / AO online   Nacional   24 de Out de 2015, 11:10

O Míscaros - Festival do Cogumelo, que se realiza de 11 a 15 de novembro no Alcaide, Fundão, deverá afirmar-se este ano como um evento ecológico, sem recurso ao plástico, disse hoje à agência Lusa a organização.

 

"Queremos contribuir para a sustentabilidade ecológica do meio ambiente e reduzir a pegada deixada por este evento. Portanto, o plástico foi banido e também haverá uma forte aposta na reciclagem e separação dos resíduos sólidos", explicou Fernando Tavares, presidente da Liga dos Amigos do Alcaide, instituição que promove o "Míscaros" em parceria com a Junta de Freguesia do Alcaide e com a Câmara do Fundão.

De acordo com este responsável, os pratos e tigelas e talheres de plástico, que normalmente eram utilizados, dão lugar a um 'kit' com as mesmas peças, mas produzidas num material à base de folha de cana-de-açúcar.

Já os copos serão substituídos por uma caneca de alumínio que tem o preço simbólico de um euro e meio, ou, em alternativa, por copos de plástico.

"Queremos que todos estejam envolvidos. Às tascas e restaurantes lançámos o desafio de não usarem material em plástico e de separarem o lixo, e aos visitantes pediremos que recorram a uma das alternativas ecológicas, sendo que a caneca pode ser guardada como recordação ou até para usar nas próximas edições do festival", destacou.

Fernando Tavares explicou ainda que há uma multa prevista para os participantes que transgridam (perdem a caução de 50 euros), mas mostrou-se convicto de que não será preciso aplicar essa regra, já que o sucesso deste festival se deve muito ao "forte empenho e adesão" dos que transformam as suas casas em tascas, restaurantes e espaços de exposição de artesanato.

Para esta edição, está já confirmada a abertura de 60 espaços (45 tascas/restaurantes e 15 espaços de artesanato), um número que a organização espera que continue a crescer até que seja possível estender o festival por todas as ruas da aldeia.

Um crescimento que já se verifica em termos da duração do certame, que este ano começa dois dias mais cedo (abertura a ser antecipada de sexta para quarta-feira) e com os dois primeiros dias a serem "inteiramente dedicados" à temática do cogumelo.

Do programa constam a realização de vários "workshops", palestras e passeios micológicos.

O objetivo é ajudar as pessoas a conhecer e identificar os diferentes tipos de cogumelos, bem como mostrar-lhes todas as potencialidades e diferentes possibilidades de utilização do cogumelo, que vão desde a gastronomia até à cosmética, tal como se verificará durante os "live cookings" ou na oficina de produção de sabão de cogumelo.

A animação está garantida com vários grupos de música a percorrerem as diferentes ruas da aldeia, que estarão decoradas, num trabalho que é garantido pela organização em conjunto com os habitantes da aldeia e com os alunos do curso de artes do Agrupamento de Escolas do Fundão, bem como pelos próprios "tasqueiros", que não deixarão de tentar ganhar o prémio do "espaço mais criativo".

Outro dos prémios que a organização atribui é o do "melhor prato do cogumelo", que pretende motivar os participantes a preparem iguarias e produtos à base do cogumelo, que, a julgar pelas ementas de outras edições, podem ir do típico arroz de míscaros à telha de cogumelos e enchidos ou às espetadas de cogumelos e à feijoada de cogumelos, entre outras.

O Míscaros, que este ano também terá um espaço dedicado às crianças e onde os pais poderão deixá-las devidamente acompanhados, também tem uma componente social e solidária, sendo que, no dia 14, às 23:00, será promovida a iniciativa "Alcaide Solidário, Juntos por um Amigo", durante a qual os presentes serão convidados a comprar uma lanterna (semelhante aos balões de S. João) para lançar ao céu. Cada lanterna custará três euros e o valor angariado reverte a favor da Loja Social do Fundão.

No dia 15, um domingo, será realizado mais um almoço comunitário de arroz de cogumelos, cuja participação implica o pagamento de um euro, e durante o qual a organização prevê servir cerca de duas mil refeições.

Com um orçamento global de cerca de 40 mil euros, este festival deverá receber ao longo dos cinco dias entre 30 a 40 mil visitantes nacionais e internacionais, que contribuirão para dinamizar a economia local e concelhia.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.