Festival de arte urbana Walk & Talk chega este ano à ilha Terceira

Festival de arte urbana Walk & Talk chega este ano à ilha Terceira

 

AO/Lusa   Regional   5 de Mar de 2016, 15:04

O festival de arte pública Walk & Talk, que há seis anos decorre na ilha de São Miguel, nos Açores, estende-se este ano à Terceira, contando no total com 90 artistas, segundo a organização.

 

"Já era uma vontade, não digo desde o início, mas temos vindo a pensar na ideia de o festival se estender geograficamente a outros sítios", afirmou à agência Lusa o diretor do festival, Jesse James, adiantando que o programa oficial do evento só será apresentado publicamente no início de maio.

O Walk & Talk, organizado pela associação Anda e Fala, realizou-se pela primeira vez em 2011 na cidade de Ponta Delgada, ilha de São Miguel, e destacou-se pela criação de um museu ao ar livre, com obras inéditas de mais de três dezenas de artistas portugueses e estrangeiros com a participação da população local.

Além do muralismo, o festival tem apostado em arquitetura performativa, performances, instalações e outras experiências.

Jesse James revelou que em 2016 o festival decorre na ilha de São Miguel de 15 a 31 de julho e na ilha Terceira de 23 de setembro a 01 de outubro.

Esta sexta edição do evento marca o início de um segundo ciclo, em que o programa deixa de estar circunscrito a determinadas datas e passa a estender-se ao longo de todo o ano.

"Já está a acontecer neste preciso momento com duas residências artísticas no Centro de Artes Contemporâneas -- Arquipélago e no Pico do Refúgio [ambos em São Miguel]. Depois vão continuar em crescendo até julho", referiu o diretor do festival, revelando que o evento tem despertado, cada vez mais, a atenção internacional.

Para que o festival tenha dimensão e possa funcionar enquanto plataforma, "tem de funcionar em rede, estar ligado a outros projetos" e é nisso que a organização tem vindo a trabalhar, como é o caso da ligação do Walk & Talk ao festival Tremor, em São Miguel, explicou Jesse James.

Segundo o responsável, a programação do Walk & Talk divide-se em quatro eixos, que passam pelos circuitos de arte pública ("na génesis do evento"), pelas residências artísticas, por exposições e por conversas.

Em 2015 o festival, que "tem atraído novos públicos e dado notoriedade aos Açores", alcançou um retorno financeiro de 1,2 milhões de euros.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.