Fernando Santos alerta para competência "fora" das Ilhas Faroé

Fernando Santos alerta para competência "fora" das Ilhas Faroé

 

Lusa/AO Online   Futebol   30 de Ago de 2017, 19:22

O selecionador de Portugal, Fernando Santos, elogiou hoje a “competência das Ilhas Faroé fora de casa”, motivo pelo qual a formação das 'quinas' precisará estar ao máximo nível para evitar surpresas rumo ao Mundial2018 de futebol.


“Tem muita competência fora de casa. Até podiam ter empatado na fase final do jogo na Suíça (2-0). É uma equipa bem concebida, bem organizada, põe tudo em campo. Os jogadores dão tudo. São fortes no espaço aéreo e no contra-ataque. Uma equipa muito perigosa. Devemos estar muito atentos para não corrermos algum risco”, advertiu.

Na conferência de imprensa de antevisão do desafio da sétima jornada do grupo B da fase de qualificação europeia, o técnico foi pródigo em elogios à formação que ocupa o lugar 89 do 'ranking' da FIFA.

“É uma equipa com jogadores de qualidade. O ‘capitão’ (Atli Gregersen) é o esteio do setor defensivo, o patrão. E tem um elemento mais experiente no meio campo. Edmundsson é muito perigoso na frente, rápido, com boa qualidade técnica. Forte no contra-ataque e em ataque rápido. Devemos ter muita atenção”, alertou.

Os 6-0 com que Portugal goleou fora o seu frágil rival não apanhará desprevenido o conjunto luso, que espera um adversário a jogar “diferente” do que fez em casa, “quando entrou muito forte, com atitude muito pressionante e a tentar que Portugal não conseguisse jogar”.

“Jogando fora, e pelo que observamos das Ilhas Faroé, vão usar todas as suas capacidades, os pontos mais fortes. São fortíssimos no espaço aéreo, nas bolas paradas e defensivo. Taticamente são muito bem organizados. Podem jogar numa linha defensiva de quatro ou eventualmente cinco, explorando o contra-ataque. Tem jogadores muito rápidos da frente”, completou.

Fernando Santos desvalorizou a menor intensidade competitiva de Cristiano Ronaldo – cumpre castigo de cinco jogos pelo Real Madrid –, recordando que o ‘capitão’ luso tem como filosofia única “vencer, seja um jogo oficial ou particular”.

Numa altura em que a época está no início, o selecionador admitiu que um dos critérios para montar a equipa é juntar futebolistas já com algum entendimento competitivo ou que trabalhem consigo há anos e conheçam a sua filosofia.

“O entendimento e entrosamento dos jogadores é diferente de um clube. Já não nos víamos desde a Rússia. Trabalhámos apenas dois dias, insuficiente para passar as ideias. Quem escolher vai corresponder em termos técnicos, táticos e, principalmente, mentais, o forte desta equipa”, prometeu.

Adrien está com a equipa, mas ainda não sabe se disponível para defrontar a Hungria no domingo em Budapeste: fará um teste na sexta-feira, altura em que ficará definida a sua aptidão.

Fernando Santos sublinhou ainda o foco “a 200 por cento” dos seus futebolistas na seleção, mesmo o daqueles cujo futuro é ainda incerto – assegura que nos treinos e palestas todos estão a cumprir, entendendo como “natural” que nos tempos livres pensem no rumo a dar à sua carreira desportiva.

Quanto à chamada de Bruno Fernandes, recorda que tem como filosofia chamar futebolistas com capacidade de proporcionarem ao grupo diferentes soluções para os problemas em campo.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.