Ex-presidente israelita começou a ser julgado por crimes de violação e assédio


 

Lusa / AO online   Internacional   10 de Jan de 2010, 13:04

O ex-presidente israelita Moshe Katzav começou hoje a ser ouvido pela primeira vez por um tribunal de Telavive sobre as acusações de violação e assédio sexual que sobre ele impendem, informou fonte judicial.

Katzav, 64 anos, chegou ao tribunal acompanhado dos seus advogados e não fez qualquer declaração aos jornalistas, indicou a rádio pública israelita.

O antigo presidente israelita, que se declara não culpado, será ouvido primeiro pelos advogados da defesa e depois pelos representantes do ministério público.

É a primeira vez que o antigo presidente israelita é chamado a apresentar a sua versão dos factos relativos a este processo que foi aberto em 09 de Maio de 2009.

O julgamento realiza-se à porta fechada e poderá estar concluído até às festas de Pessah, a Páscoa judaica, que começam em 30 de Março, com três audiências de oito horas por semana, indicou fonte judicial.

Em 19 de Março de 2009, Moshe Katzav foi formalmente acusado de violação, perseguição sexual e actos indecentes contra três das suas empregadas à época em que exercia as funções de ministro do Turismo, nos anos 1990, e depois quando já era chefe de Estado eleito em 2000.

O ex-presidente arrisca-se a pena de 16 anos de prisão se for considerado culpado, num processo em que já foram ouvidas dezenas de testemunhas.

Katzav demitiu-se das suas funções de chefe de Estado em Junho de 2007 devido às suspeitas que pesavam então sobre ele.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.