EUA avisam Damasco e Moscovo contra os ataques "atrozes" em Alepo


 

Lusa/AO online   Internacional   19 de Nov de 2016, 17:01

A conselheira norte-americana para a Segurança Nacional, Susan Rice, condenou os bombardeamentos

 

“Os Estados Unidos condenam fortemente os ataques terríveis contra instalações médicas e colaboradores de agências humanitárias. Não há desculpa para estes atos atrozes”, declarou Rice, citada pela agência France Press.

“O regime sírio e os seus aliados, a Rússia em particular, são responsáveis pelas consequências imediatas e no futuro por estes atos”, avisou. Susan Rice.

Barack Obama chegou na noite de sexta para sábado a Lima, na que é a derradeira etapa da sua última viagem ao estrangeiro enquanto Presidente norte-americano.

Obama irá participar na capital peruana na cimeira da Associação Económica da Ásia e do Pacício (APEC), que reúne 21 economias da Ásia-Pacífico, evento onde também se junta o presidente russo, Vladimir Putin, e onde não estão previstos encontros bilaterais entre os dois líderes.

Pelo menos, 27 civis morreram hoje na sequência de ataques aéreos e bombardeamentos levados a cabo pelo regime sírio em bairros controlados pelas forças rebeldes em Alepo, no quinto dia de uma ofensiva por parte das forças armadas sírias, de acordo com o Observatório sírio dos Direitos Humanos (OSDH), citado pela AFP.

“Quase nenhum bairro na zona leste de Alepo foi poupado pelos bombardeamentos do atual regime”, disse à AFP Rami Rahmane, diretor do OSDH.

Desde a passada terça-feira, pelo menos 92 civis foram mortos, segundo um balanço do OSDH, na sequência de bombardeamentos das forças armadas do regime de Bashar al-Assad sobre bairros controlados pelos rebeldes na segunda maior cidade síria, principal frente do conflito que se arrasta no país desde 2011.

Vários capacetes azuis - socorristas das Nações Unidas no terreno – publicaram hoje nas respetivas páginas na rede social Facebook vídeos e fotos que testemunham a violência dos bombardeamentos.

“É um dia catastrófico para a parte sitiada de Alepo, vítima de bombardeamentos sem precedentes com todo o tipo de armas”, escrevem os capacetes azuis, afirmando ter registado a explosão de “2 mil obuses de artilharia e 250 ataques aéreos”.

O enviado das Nações Unida para a Síria é esperado este domingo em Damasco, onde deverá encontrar-se com o ministro sírio dos Negócios Estrangeiros, anunciou hoje o portal na internet do diário sírio al-Watan, próximo do poder.

O enviado da ONU, Staffan de Mistura, chegará este domingo a Damasco. A sua visita durará apenas um dia, durante o qual se encontrará com Walid Mouallem e com altos responsáveis do ministério”, especifica o diário.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.