Estado Islâmico reivindica atentado contra padre italiano no Bangladesh


 

Lusa/AO online   Internacional   19 de Nov de 2015, 14:27

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) reivindicou o ataque a tiro no Bangladesh contra um padre italiano, que ficou gravemente ferido na quarta-feira, indicou a rede de vigilância dos movimentos 'jihadistas' SITE.

 

"Os destacamentos dos soldados do califado no Bangladesh executaram várias operações (...) incluindo a que visou o cruzado italiano estrangeiro Piero Parolari", de acordo com a SITE, que cita um comunicado do EI.

O padre ficou gravemente ferido, na sequência de um ataque de um comando armado, na quarta-feira, em Dinajpur (norte). Parolari foi hospitalizado num hospital militar de Dacca.

"Enquanto não soubermos quem executou esta operação, não poderemos dizer quem ou qual grupo orquestrou este ataque", afirmou o chefe da polícia de Dinajpur, Ruhul Amin, ao mesmo tempo que reconheceu "semelhanças com ataques anteriores contra estrangeiros".

Em setembro, um trabalhador humanitário italiano foi morto a tiro em Dacca e, alguns dias depois, um agricultor japonês foi assassinado no norte do país.

Estes dois homicídios foram reivindicados pelo EI, bem como o de um polícia morto à facada perto de Dacca, no início de novembro.

O governo do Bangladesh negou que o EI tenha perpetrado estes ataques, e garantiu que o grupo não atua no país. A polícia atribuiu os homicídios a uma organização islamita proibida.

O padre italiano, de cerca de 60 anos, vive há mais de 30 anos na missão católica de Suihari.

O EI, no comunicado citado pelo SITE, reivindica igualmente ter ferido a tiro um responsável do movimento espiritual 'baha'i', no domingo, em Rangpur, bem como a morte de um antigo dirigente local do partido no poder Liga Awami, também em Rangpur, a 10 de novembro.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.