Estação de deteção de testes nucleares construída na Graciosa


 

Lusa/AO Online   Regional   4 de Abr de 2010, 10:25

A apresentação do projeto da Estação Internacional de Monitorização e Detecção de Ensaios Nucleares que vai ser instalada na Graciosa marca a visita que o governo regional inicia segunda-feira a esta ilha dos Açores.

Esta estação de infra-sons insere-se no quadro do Tratado para a Proibição de Ensaios Nucleares, que prevê cerca de seis dezenas de postos de monitorização deste tipo espalhados pelo mundo.

A instalação da estação da Graciosa envolve um investimento de cerca de dois milhões de euros, ficando a manutenção e funcionamento a cargo do Centro de Vulcanologia da Universidade dos Açores.

A visita do governo regional à Graciosa, que se prolonga até terça-feira, ficará ainda marcada pela abertura do Centro de Visitantes da Furna do Enxofre, uma formação geológica de origem vulcânica situada no interior da Caldeira da Graciosa.

Esta imponente caverna lávica, um dos principais pontos turísticos da Graciosa, tem um comprimento máximo de 194 metros, atingindo uma altura de 40 metros na parte central, onde o teto tem a forma de uma abóbada perfeita.

O novo Centro de Visitantes, orçado em 900 mil euros, disponibilizará um local de descanso e de observação, além de informações técnicas e científicas que permitem conhecer melhor como se formou esta estrutura geológica.

Nesta visita, entre muitas iniciativas envolvendo os membros do executivo açoriano, será também assinado o contrato de adjudicação da construção do novo Centro de Saúde da Graciosa.

Uma reunião do Conselho de Ilha e outra do Conselho do Governo Regional constam também do programa da visita à Graciosa, a primeira que o executivo realiza este ano às ilhas do arquipélago.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.