Especialistas querem apoiar Açores a criar plano marítimo

Especialistas querem apoiar Açores a criar plano marítimo

 

lusa   Regional   4 de Dez de 2011, 14:07

Um grupo de especialistas internacionais em gestão dos oceanos manifestou disponibilidade para acompanhar o desenvolvimento do plano de ordenamento do espaço marítimo que está a ser elaborado pelo Governo dos Açores.

A decisão, divulgada pelo diretor regional dos Assuntos do Mar, Frederico Cardigos, surge na sequência de uma reunião de três dias, realizada na cidade da Horta, Açores, que juntou uma dezena e meia de investigadores e especialistas nacionais, europeus e norte-americanos na área do ambiente e proteção dos oceanos.

Segundo Frederico Cardigos, "o grupo de especialistas disponibilizou-se para ajudar" o governo açoriano a preparar o plano, que irá definir quais as atividades que deverão ocorrer em cada espaço das águas açorianas no futuro.

"Esta será uma boa oportunidade para a região que não queremos perder", destacou o diretor regional dos Assuntos do Mar, para quem o trabalho de "caracterização e planeamento do mar dos Açores" é uma tarefa fundamental para garantir a “boa gestão” das águas.

No seu entender, compatibilizar novos usos, como a exploração mineralógica, a produção energética e a pesquisa biotecnológica, com usos mais tradicionais, como as pescas e o turismo, "trará enormes benefícios” ao espaço marítimo e ao desenvolvimento dos Açores.

Frederico Cardigos manifestou, por outro lado, a sua satisfação pelo facto de a Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD), organizadora do encontro, ter escolhido os Açores para a realização desta reunião de especialistas ligados à proteção dos oceanos.

"Julgo que essa escolha se deveu ao facto de nos Açores se produzir ciência ao mais alto nível em matéria de caracterização oceanográfica e geológica, como acontece com a Universidade dos Açores, mas também à posição geoestratégica do nosso arquipélago", sublinhou.

O diretor regional dos Assuntos do Mar lembrou também que a região vai passar a ter jurisdição sobre alguns dos fundos marinhos que ficam "para lá da zona económica exclusiva dos Açores", na sequência da recente aprovação do Parque Marinho dos Açores, que determina mais de uma dezena de áreas protegidas nas águas açorianas.

"Este foi um passo arrojado e significativo que tem motivado uma curiosidade acrescida sobre a nossa região", afirmou.

Um dos objetivos dos cientistas internacionais que hoje terminaram um encontro de três dias é garantir uma concertação global no que respeita às estratégias de governação e sustentabilidade dos oceanos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.