Especialistas debatem “impacto revolucionário” da aviação a partir dos Açores


 

Lusa/AO Online   Regional   1 de Set de 2017, 14:31

Especialistas vão debater, na ilha de Santa Maria, nos Açores, que foi um ponto estratégico entre a Europa e os EUA, de 06 a 10 de setembro, o “impacto revolucionário” que a aviação teve no mundo.


“Na sequência da II Guerra Mundial, Santa Maria passou a funcionar como o aeroporto internacional dos Açores, o que gerou um impacto enorme na realidade da ilha, tal como na aviação em todo o mundo e, em especial, no Atlântico, aproximando, de forma revolucionária e decisiva, as suas duas margens, Europa e EUA”, declarou à agência Lusa António Monteiro.

O dirigente da LPAZ - Associação para a Valorização e Promoção do Aeroporto de Santa Maria, que promove o evento em parceria com a Universidade dos Açores, o Centro de Estudos Internacionais do ISCTE (Instituto Universitário de Lisboa) e a Associação Portuguesa de Estudos Franceses, afirmou ser agora importante analisar no centro do Atlântico Norte o “impacto da aviação no tempo e no espaço” e “como esta afetou a perceção e moldou os diferentes territórios”.

O fórum, que surge na sequência de várias iniciativas da LPAZ, abordará especificamente o impacto da aviação durante o período da “guerra fria” e a “perceção do tempo e do espaço nas artes visuais como o cinema, e na literatura em várias partes do globo, de forma particular no Atlântico”.

“Este é um colóquio sobretudo internacional. Fazemos essa reflexão é a partir do centro do Atlântico e achamos o sítio ideal para o fazer a partir dos Açores, que permitem uma visão de 360 graus sobre o impacto do tempo e espaço com base na aviação”, declarou.

António Monteiro referiu que vão reunir-se especialistas das ciências sociais na discussão sobre os contributos e os efeitos da aviação nas noções de tempo e de espaço, pretendendo-se com o evento “contribuir para uma reflexão local, nacional e atlântica” sobre a temática a abordar.

Segundo a organização do evento, pretende-se através da “partilha de conhecimentos e experiências que brotam da participação na história desta atividade de grandes espaços e aceleradora do tempo, que é a aviação, possibilitar às comunidades a sua própria interpretação e valorização, afirmando a história”.

O evento em Santa Maria contempla, também, um encontro de museus e arquivos aeronáuticos do Atlântico, considerando António Monteiro que a sua parte teórica "será muito útil para dar substância ao árduo trabalho” que aqueles espaços vão desenvolvendo, “afirmando-se a sua importância no presente, não se olhando a história como algo parado no tempo”.

O responsável declarou, a propósito, que “há um imenso património aeronáutico em Santa Maria e outras ilhas dos Açores que é preciso respeitar e dar a devida importância”, destacando que o arquipélago sempre foi um “território de apoio às comunicações transatlânticas desde que o primeiro descobridor aqui aportou”.

António Monteiro frisou que ao longo dos séculos, foi “mudando a forma de promover este apoio”, exemplificando com a navegação à vela e as comunicações por cabo, a par da aviação, que foi “o maior choque civilizacional” que terá sido provocado, “voando o homem de um momento para o outro”.

Os textos do fórum serão publicados numa publicação internacional.

 



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.