WikiLeaks

Equador anuncia decisão do pedido de asilo de Assange ao fim da manhã de hoje

Equador anuncia decisão do pedido de asilo de Assange ao fim da manhã de hoje

 

LUSA/AOnline   Internacional   15 de Ago de 2012, 23:39

O Equador vai anunciar hoje a decisão sobre o pedido de asilo político feito pelo fundador do Wikileaks Julian Assange, disse quarta-feira o ministro equatoriano dos Negócios Estrangeiros, Ricardo Patiño, durante uma conferência de imprensa em Quito.

A decisão vai ser comunicada hoje às 12:00 - hora dos Açores - 07:00, em
Quito, de acordo com Ricardo Patiño, citado pela agência Efe.

O ministro disse ainda que a Embaixada do Equador em Londres, onde Assange se
encontra desde 19 de junho, poderá ser invadida, se o fundador do Wikileaks não
for entregue às autoridades britânicas, para a sua extradição para a Suécia.

Segundo o ministro equatoriano, "a posição britânica é inaceitável, tanto
política quanto do ponto de vista legal".

As afirmações de Patiño surgem depois de o ministério britânico dos Negócios
Estrangeiros se ter declarado "determinado" a cumprir a extradição de Assange,
de acordo com a agência France Presse.

"O Reino Unido tem a obrigação legal de extraditar Assange para a Suécia para
ser interrogado, e continuamos determinados a cumprir esta obrigação", disse um
porta-voz dos Negócios Estrangeiros britânicos, em Londres, na noite de
quarta-feira.

A conferência de imprensa do titular da diplomacia equatoriana realizou-se
após a reunião com o presidente Rafael Correa, durante a qual apresentou um
relatório sobre o pedido de asilo do fundador do Wikileaks.

Horas antes, o presidente do Equador tinha desmentido que o seu país se
estivesse a preparar para conceder asilo ao fundador a Julian Assange, como
noticiara o site na Internet do jornal britânico The Guardian.

"O rumor de um asilo acordado para Assange é falso. Qualquer decisão não foi
ainda tomada sobre a matéria. Aguardo uma informação do Ministério dos Negócios
Estrangeiros", escreveu Rafael Correa na sua conta na rede social Twitter.

Julian Assange, australiano de 41 anos, é acusado pela Justiça sueca de
violação e agressão sexual, encontrando-se refugiado na embaixada do Equador, em
Londres, desde 19 de junho, aguardando uma resposta ao seu pedido de asilo.

Assange quer evitar a extradição para a Suécia e posteriormente para os Estados Unidos, onde teme ser condenado à pena de morte por espionagem, devido à divulgação pelo seu portal na Internet de 250 mil telegramas da diplomacia norte-americana.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.