Empresa municipal de Ponta Delgada Azores Parque tem passivo bancário de 10,6 ME


 

Lusa/AO Online   Regional   13 de Abr de 2016, 09:08

A empresa municipal Azores Parque, em Ponta Delgada, tem um passivo bancário de 10,6 milhões de euros, vencendo em 2016 cerca de 2,9 milhões, revela o relatório de gestão e contas relativo a 2015.

 

O documento, a que a agência Lusa teve hoje acesso, refere que, no último ano, a sociedade anónima, onde a Câmara Municipal de Ponta Delgada detém 51% do capital social, teve custos totais de 748,3 mil euros e proveitos de 638,6 mil euros.

"O processo de instalação e concentração de uma grande zona empresarial no concelho de Ponta Delgada tem sido um processo com algumas vicissitudes, quer pela sua localização, cujo objetivo inicial se mantém inalterável, ou seja, requalificar uma zona ambientalmente degradada, quer pelas condições de mercado, que nos últimos oitos anos tem sido extremamente adverso, quer para o investimento, quer para o consumo", adianta o relatório.

Além do parque empresarial de Ponta Delgada, a Azores Parque, constituída em 2004, gere um ninho de empresas, cujo arrendamento de espaços rendeu em 2015 o montante de 10.651,24 euros.

A Azores Parque, com dois funcionários no quadro, teve no último ano um gasto com pessoal que totalizou 43 mil euros, valor inferior em 51,45% face a 2014.

Além do município, são acionistas desta empresa municipal o Coliseu Micaelense e vários privados.

O relatório de gestão e contas 2015 informa, ainda, que estão arrendados dois pavilhões e duas lojas, com valor mensal de 800 euros as primeiras e 450 euros as segundas, sendo que em termos de rendas recebidas no último ano totalizou quase 153 mil euros.

Esta sociedade anónima tem por objeto a promoção e desenvolvimento urbanístico e imobiliário de parques empresariais, prestação de serviços de planeamento, arquitetura, engenharia e gestão, bem como outros serviços conexos e necessários ao desenvolvimento da atividade empresarial.

Contactado hoje pela agência Lusa, o presidente da Câmara de Ponta Delgada, o social-democrata José Manuel Bolieiro, reconheceu que a Azores Parque é o caso mais preocupante do universo das três empresas municipais.

No início do mês, os vereadores socialistas na Câmara de Ponta Delgada exigiram a realização de uma auditoria à gestão das três empresas municipais, que dizem representar um risco financeiro para a autarquia na ordem dos 29 milhões de euros.

José Manuel Bolieiro admitiu, então, estar "muito preocupado" com o endividamento das empresas municipais, mas recusou-se a antecipar soluções que estão a ser estudadas.

Além da Azores Parque, fazem parte do universo das empresas municipais em Ponta Delgada a Cidade em Ação e o Coliseu Micaelense.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.