Emprego e inclusão social dos jovens devem ser prioridades para Estados-membros

Emprego e inclusão social dos jovens devem ser prioridades para Estados-membros

 

Lusa/AO online   Economia   10 de Set de 2012, 12:11

O emprego e a inclusão social devem ser prioridades na política europeia de juventude, indica um relatório da União Europeia (UE) divulgado esta segunda-feira, numa altura em que a média do desemprego jovem ultrapassa os 22 por cento.

O relatório da UE sobre a juventude “evidencia a necessidade de a UE e os Estados-membros envidarem mais esforços para apoiar os jovens, que têm sido os mais afetados pela crise económica”, segundo um comunicado divulgado em Bruxelas.

De acordo com a mesma fonte, o desemprego na UE na faixa etária entre os 15 e os 24 anos aumentou 50 por cento desde o início da crise, passando de uma média de 15 por cento em fevereiro de 2008 para 22,5 por cento em julho deste ano.

Segundo os últimos dados divulgados pelo Eurostat, a taxa de desemprego jovem em Portugal fixou-se nos 36,4 por cento em julho, a terceira taxa mais elevada entre os países para os quais há dados disponíveis.

Mais de 30 por cento dos jovens desempregados na UE estão nessa situação há mais de um ano.

Segundo Bruxelas, o novo programa proposto para as áreas da educação, formação e juventude Erasmus para todos, a vigorar no período 2014-2020, estará no centro da nova estratégia da UE para a juventude.

Este novo programa prevê um aumento dos fundos a afetar, “o que permitirá a cinco milhões de pessoas receber bolsas da UE para estudar, prosseguir formações ou fazer voluntariado no estrangeiro, quase o dobro comparativamente aos programas 2007-2013 atualmente em vigor”, acrescenta Bruxelas.

"São demasiados os [jovens] que estão em risco de exclusão social e pobreza. Os jovens são o nosso futuro e estou fortemente empenhada em reforçar os nossos programas e políticas na área da educação, formação e juventude para melhorar as suas perspetivas de emprego e oportunidades de vida", afirmou a comissária europeia responsável pela Educação, a Cultura, o Multilinguismo e a Juventude, Androulla Vassiliou.

O relatório divulgado hoje será apresentado ao Conselho Europeu e deverá ser adotado sob a forma de relatório conjunto do Conselho e da Comissão em novembro.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.