Embaixada chinesa em Lisboa desconhece interesse comercial ou militar na base

Embaixada chinesa em Lisboa desconhece interesse comercial ou militar na base

 

Lusa/AO Online   Regional   23 de Jan de 2015, 13:47

A responsável política da embaixada chinesa em Portugal disse esta sexta-feira não ter conhecimento sobre o "chamado interesse comercial ou militar" na base das Lajes, nos Açores, onde a administração norte-americana vai reduzir pessoal.

 

"A nossa embaixada não tem nenhum conhecimento sobre o chamado interesse chinês na base das Lajes, nem comercial nem militar", afirmou à Lusa Guo, diretora dos assuntos políticos da embaixada da República Popular da China em Lisboa.

A diplomata chinesa disse que a embaixada não está a desenvolver "qualquer tipo de contactos" nesse sentido nem discutiu o assunto com o Governo Regional dos Açores.

"Não sabemos por que o [presidente do] Governo Regional dos Açores disse isso", referiu, quando questionada sobre as declarações de Vasco Cordeiro, em entrevista à RTP, sobre a possibilidade de a infraestrutura das Lajes, na ilha Terceira, ser usada por outro país que não os Estados Unidos, dando o exemplo da China, com quem Portugal tem "uma relação diplomática" que é "muito anterior" àquela que tem com Washington.

Sobre o facto de o Presidente chinês, Xi Jinping, ter realizado, em julho passado, uma escala técnica de cerca de oito horas na ilha Terceira, onde se encontrou com o vice-primeiro-ministro português, Paulo Portas, Guo desvalorizou qualquer significado.

"O Presidente fez uma visita de Estado a países da América Latina e, na viagem de volta à China, fez uma escala técnica nos Açores. Não tem nada a ver com um interesse" na base das Lajes, afirmou à Lusa.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.