Em Portugal 46 grandes empresas são responsáveis por 25% das compras

Em Portugal 46 grandes empresas são responsáveis por 25% das compras

 

Lusa/AO online   Economia   4 de Jul de 2016, 18:37

As empresas portuguesas gastaram 231 mil milhões de euros em compras em 2014, sendo que 46 das grandes empresas são responsáveis por 25% de todas as compras efetuadas em Portugal, segundo um estudo da Informa D&B.

 

O estudo sobre ‘A relevância das compras na economia nacional” para a Associação Portuguesa de Compras e Aprovisionamento (APCADEC) analisa o ano de 2014, o último até ao momento com dados completos.

O documento mostra que o volume de compras do universo empresarial "está acentuadamente concentrado", com as 617 grandes empresas, num tecido empresarial que ronda as 291 mil empresas, a efetuarem 47% do total das compras das empresas em Portugal.

Além disso, entre as 617 grandes empresas, 46 concentram 25% do valor total das compras.

Se se tiverem em conta todas as empresas em Portugal, as compras atingiram os 231 mil milhões de euros, valor que inclui aquisição de bens e fornecimento de serviços externos de todas as empresas comerciais, públicas ou privadas, com atividade comercial no ano e que representam a quase totalidade do valor de compras em Portugal.

De fora, ficam o setor financeiro, os empresários em nome individual, profissionais liberais, administração pública e o setor social.

Cerca de 70% das compras foram realizadas para a aquisição de bens, que alcançaram os 162,1 mil milhões de euros, enquanto os remanescentes 30% destinaram-se ao fornecimento de serviços externos.

As Pequenas e Médias Empresas (PME) totalizam as 14.565 entidades e representam 35% do valor total, enquanto as micro empresas, que são 276.438 entidades, representam apenas 18% do total dos 231 mil milhões de euros em compras.

Quase dois terços das compras, correspondentes a 64,2% do total, são feitas por grandes empresas da região de Lisboa, com um valor médio de compras por ano a atingir quase o dobro das grandes empresas do Norte.

Por setores, as indústrias transformadoras (26,5%) e os setores grossista (22,5%) e do retalho (19,2%) concentram 68,2% do valor total das compras, apesar de no conjunto representarem 38,3% das entidades do tecido empresarial, valor que a Informa D&B justifica com "o facto de existir concentração de grandes empresas nos setores das indústrias transformadoras e grossista".

Dentro das indústrias transformadoras, os subsetores dos produtos petrolíferos e a indústria automóvel são os que assumem mais peso, enquanto no setor grossista, combustíveis, produtos farmacêuticos e alimentar são os subsetores mais relevantes.

No retalho, os combustíveis voltam a mostrar o seu peso, acompanhados pelos subsetores alimentar e automóvel.

Os setores grossista e do retalho (cujas compras representam 52,1 e 44,4 mil milhões de euros, respetivamente) registam, cada um, 88% de compras concentradas em aquisição de bens.

Pelo contrário, o setor dos transportes regista 12 mil milhões de euros em compras, mas concentradas (92%) em fornecimento de serviços.

O estudo sobre as compras das empresas foi realizado para o evento ‘Procurement: Criação de Valor’, promovido pela APCADEC, e enquadra-se nas análises e serviços que a Informa D&B oferece às empresas, que permitem gerir o risco dos seus fornecedores e identificar oportunidades de poupança.

A Informa D&B apresenta-se como líder, em Portugal e Espanha, na oferta de informação e conhecimento sobre o tecido empresarial.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.