Sociedade

Economia solidária também sofre com a crise

Economia solidária também sofre com a crise

 

Lusa / AO online   Regional   22 de Jun de 2010, 07:30

A crise económica e as dificuldades de acesso ao crédito para expandir o negócio são as principais dificuldades com que se debatem as cooperativas de economia solidária nos Açores, que se "vão aguentando" apesar das quebras nas vendas.
“A crise veio baixar o volume de vendas e reduzir as perspectivas de crescimento, mas vamos aguentando para manter o nível de emprego”, afirmou António Leite, presidente da Cooperativa Kairós, que possui uma unidade de produção onde trabalham cerca de 25 pessoas em risco de exclusão social.

Em S. Miguel, Açores, estavam referenciadas no final do ano passado 26 instituições que desenvolvem actividades de economia solidária, empregando cerca de duas centenas de pessoas, na maioria mulheres.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.