"É uma honra treinar o Real Madrid" diz José Mourinho

"É uma honra treinar o Real Madrid" diz José Mourinho

 

Lusa/AO Online   Futebol   31 de Mai de 2010, 12:43

José Mourinho afirmou hoje que “é uma honra” treinar o Real Madrid, que este é o momento para “fazer perguntas” e conhecer a equipa e que Cristiano Ronaldo é importante, mas que o mais importante é o clube.

“Não sei se nasci para treinar o Real Madrid. Simplesmente nasci para treinar futebol. Sou treinador de futebol e gosto dos maiores desafios. A minha atração pelo Real Madrid é a atração pela sua história, pelas suas frustrações nos últimos anos e pelas suas expetativas de ganhar”, afirmou na conferência de imprensa da sua apresentação como treinador do clube.

“É um clube único. Para um jogador importante ou um treinador importante não jogar ou não treinar no Real Madrid deixa um buraco importante numa carreira”, afirmou.

Ao lado de Jorge Valdano, responsável desportivo do Real Madrid, e sempre mantendo um rosto sério, José Mourinho foi hoje apresentado numa conferência de imprensa com dezenas de jornalistas.

“Por sorte e por trabalho a minha carreira tem sido muito bonita e gostava muito de treinar o Real Madrid. É um orgulho muito grande treinar o Real Madrid”, disse.

“Sempre dei o meu melhor em todos os clubes onde estive e vou dar o meu melhor no Real Madrid”, afirmou, explicando que à direção do clube apenas deixou a promessa: “Ser José Mourinho".

Pedindo desculpa por não falar bem o castelhano e usando várias expressões em italiano, uma vez que orientou o Inter de Milão nos últimos dois anos, Mourinho prometeu que falará um espanhol fluente até à pré-temporada.

O português disse ainda que mais bonito que treinar ou jogar no Real Madrid é “ganhar no Real Madrid”.

“Prometo que não mudo. Sou José Mourinho e o José Mourinho que chega hoje ao Real Madrid é o José Mourinho com todas as suas forças e fraquezas. Agora vou fazer muitas perguntas, falar o menos possível e a tentar perceber melhor a realidade do meu novo clube”, disse.

“Diagnosticar é mais importante do que decidir e é diagnosticando que quero, com maior confiança nas pessoas que trabalham e conhecem o clube”, afirmou ainda.

Ainda assim Mourinho insiste que “não se deve pensar em transformações radicais” e antes em “pequenas transformações tendo em conta a forma de pensar de um novo treinador”.

“Vou tentar situar-me o melhor possível para depois transformar algumas coisas de acordo com a minha maneira de trabalhar. Adaptar algumas coisas em função do meu modo de trabalho, tendo confiança nas pessoas que já aqui estão, incluindo os jogadores”, disse, reiterando que precisará apenas de contratar "três ou quatro jogadores" para ter uma equipa com o seu cunho.

Questionado sobre se estaria preparado para ser afastado do Real Madrid se não tiver êxito na primeira temporada, como ocorreu com o seu antecessor, Mourinho insistiu que, “se um treinador está com medo de ser despedido, não trabalha bem”

“Eu sou um treinador com muita autoestima, com muita autoconfiança e não penso em destituição. Tudo o contrário. Penso que quatro anos de contrato são suficientes para ganhar, construir uma equipa com identidade, preparar futebolisticamente o presente e o futuro do Real”, afirmou.

“Não fico contente com a destituição de Peligrini. Nunca fico feliz com o afastamento de um treinador, mas é assim o futebol. Chego com muita vontade, confiança e tenho muita confiança nos meus novos jogadores, tenho a esperança e a convicção que os jogadores têm muita confiança no seu novo treinador”, disse ainda.

No início da conferência de imprensa, Jorge Valdano confirmou que José Mourinho assinou um contrato por quatro anos e sanou alguns desentendimentos do passado com o técnico português.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.