É preciso sensibilizar jovens e consumidores para importância da agricultura

É preciso sensibilizar jovens e consumidores para importância da agricultura

 

Lusa/AO Online   Regional   16 de Jul de 2014, 12:24

O presidente do Governo dos Açores defendeu hoje que é preciso sensibilizar consumidores finais e jovens para a importância da agricultura no desenvolvimento da região e na preservação ambiental e da paisagem.

Vasco Cordeiro sublinhou que a "realidade rural" dos Açores assenta numa agricultura de "cariz familiar" que soube, no entanto, passar de uma "agricultura convencional para uma agricultura diferenciada, moderna e inovadora".

"Falar da agricultura açoriana é falar do crescimento económico e de emprego, através de um setor fundamental para a fixação das populações e para a preservação da nossa identidade cultural e histórica", afirmou o presidente do executivo açoriano, em Ponta Delgada, na abertura do seminário "Agricultura familiar versus agricultura sustentável", alertando para a "importância" do desenvolvimento sustentável deste setor e do seu contributo para o desenvolvimento dos Açores.

"Uma importância que importa promover, através de um esforço de consciencialização dos consumidores finais e dos mais jovens, contrariando, também por essa via, o efeito de afastamento que a modernidade provocou nas sociedades urbanas relativamente às atividades do mundo rural", acrescentou.

Mas para o presidente do Governo Regional, "o potencial" da agricultura açoriana "para gerar riqueza" está "ainda longe de estar esgotado".

"Sobretudo em áreas que ainda estão por explorar do aproveitamento do tradicional 'saber fazer' ao longo de várias gerações e a sua ligação a novos desafios técnicos e de gestão empresarial imprescindíveis em explorações modernas e competitivas", acrescentou.

A este propósito, recordou que o Governo Regional tem promovido cursos de formação para agricultores em todas as ilhas, que já chegaram a mais de duas mil pessoas só este ano.

Para além disso, referiu que há "novas oportunidades de criação de emprego e de riqueza" associadas ao setor a nível do turismo rural e da defesa da paisagem.

"Neste capítulo, desafiamos em especial os jovens a explorar este potencial, empreendendo projetos nessas áreas", afirmou, acrescentando que da parte do executivo serão criados incentivos com o mesmo objetivo.

Vasco Cordeiro recordou ainda que no âmbito do próximo período de programação financeira a nível europeu, para 2014-2020, o Programa de Desenvolvimento Rural (PRORUAL +) tem uma dotação de 73 milhões de euros "exclusivamente destinados" a compensar os produtores açorianos pelas dificuldades associadas a zonas "com condicionantes naturais específicas".

Estão ainda destinados 65 milhões de euros "apenas para medidas agroambientais", relacionadas com a melhoria do ambiente e da paisagem, acrescentou.

"Consideramos esta preocupação ambiental como prioritária, tendo em conta que, nos Açores, existem cerca de 40 áreas pertencentes à Rede Natura 2000", o que corresponde a 16% do arquipélago, sublinhou.

O seminário que hoje decorre em Ponta Delgada, e que se repetirá em Angra do Heroísmo, na sexta-feira, visa assinalar o ano internacional da Agricultura Familiar, decretado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO).


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.