Djokovic procura "roubar" a Nadal título na catedral da terra batida

Djokovic procura "roubar" a Nadal título na catedral da terra batida

 

Lusa/AO Online   Outras modalidades   22 de Mai de 2015, 09:41

O tenista sérvio Novak Djokovic é o principal favorito à conquista de Roland Garros, segundo Grand Slam da temporada, cuja 114ª edição decorre entre 24 de maio e 07 de junho, em Paris.

 

Apesar dos nove títulos de Rafael Nadal o tornarem por si só um candidato ‘crónico’ ao triunfo, os últimos resultados do sérvio garantem-lhe, à partida, a condição de favorito à vitória no único Grand Slam que lhe falta no palmarés, depois de ter perdido as finais de 2012 e 2014 para o maiorquino.

Assumidamente, o torneio francês é a grande aposta de 2015 do líder do ‘ranking’ ATP, mas nem por isso o Djokovic facilitou nos meses que antecederam o histórico torneio francês.

Pelo contrário, o sérvio chega a Paris com uma impressionante marca no ano de 2015, em que, além do Open da Austrália, ‘cantou’ vitória nos quatro Masters 1000 em qua participou (Indian Wells, Miami, Monte Carlo e Roma), dois dos quais em terra batida.

Contudo, não se adivinha tarefa fácil para Djokovic, com um lote alargado de jogadores a espirarem a estragar os planos do sérvio. Desde logo Rafael Nadal.

O eneacampeão, que apenas perdeu por uma ocasião no torneio, vem de uma série ‘anormal’ de quatro derrotas em terra batida que o relegaram para o sétimo posto do ‘ranking’ ATP, a sua pior classificação desde 2005.

Em Paris, num torneio em que se sente em ‘casa’, o espanhol procura recuperar a sua melhor versão. O facto de os jogos se disputarem à melhor de cinco ‘sets’ poderá favorecer o maiorquino, ganhando vantagem no capítulo físico e psicológico face aos demais adversários.

Outros dos nomes a ter em conta são os de Roger Federer e Andy Murray. Aos 33 anos, a qualidade do ténis do suíço, numero dois do ‘ranking’, faz com que também ele seja considerado um dos ‘crónicos’ favoritos às últimas rondas do torneio, mesmo sabendo-se que, apesar da vitória de 2009, a terra batida não é o ‘habitat’ preferido do suíço.

Quanto ao britânico, terceiro da hierarquia mundial, chega a Roland Garros na sua melhor época sobre terra batida, contando já com dois (e únicos) títulos conquistados (Munique e Madrid – este frente a Nadal na final), o que legitima as suas aspirações boa prestação na ‘catedral’ do pó de tijolo.

Fora dos ‘big four’ o principal candidato a uma surpresa é Kei Nishikori. A velocidade e a consistência do japonês, que pelo segundo ano consecutivo venceu em Barcelona, deixam-no confortável na terra batida, ainda que que tenha como melhor resultado em Paris os oitavos de final.

No que a portugueses diz respeito, João Sousa, 50.º da hierarquia mundial é, para já, o único com presença assegurada no quadro principal, sendo que Gastão Elias está a uma vitória de também ele chegar ao quadro principal via qualifying. Para isso terá de ultrapassar o argentino Facundo Arguello, numero 139 do ‘ranking’.

No sector feminino, a russa Maria Sharapova parece determinada em defender o título conquistado em 2014. A vitória em Roma deixou um sério aviso às principais rivais, sendo que a principal ameaça é a norte-americana Serena Williams. Resta saber como a bicampeã estará fisicamente, depois de se ter retirado do ATP de Roma devido a problemas no cotovelo direito.

Para lá das duas primeiras do ‘ranking’, a recente demonstração da checa Petra Kvitova em Madrid deixam também boas indicações para Roland Garros, que terá ainda na belga Simona Halep, vice campeã, e na dinamarquesa Carolina Wozniacki as principais favoritas às rondas finais do torneio francês.

A edição de 2015 de Roland Garros, a 114.ª da história, arranca no domingo, 24 de maio, e termina a 07 de junho.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.