Diabetes e obesidade combinados podem potenciar cancro

Diabetes e obesidade combinados podem potenciar cancro

 

Lusa/AO Online   Nacional   29 de Nov de 2017, 08:13

A diabetes e a obesidade, combinados, podem ser potenciadores de cancro e estarão na origem de 800.000 cancros no mundo em 2012, segundo um estudo do Imperial College de Londres, uma universidade britânica, hoje divulgado.

De acordo com o estudo, quase seis por cento de novos casos de cancro no mundo em 2012 foram causados pelos efeitos combinados da diabetes e do excesso de peso. Nos 12 tipos de cancro estudados os dois fatores foram responsáveis por 800 mil novos casos de cancro.

Vistos individualmente, o excesso de peso foi responsável por quase o dobro de casos de cancro, sendo—lhe atribuído 544.300 casos, contra os 280.100 casos atribuídos à diabetes.

Ainda segundo o estudo, divulgado hoje na revista Lancet Diabetes e Endocrinologia, um em cada quatro casos de cancro relacionados com a diabetes foi atribuído ao aumento mundial da diabetes entre os anos de 1980 e 2002. E quase um terço dos casos de cancro relacionados com obesidade foram atribuídos ao aumento do número de pessoas com excesso de peso, no mesmo período.

Os cancros causados pela combinação dos dois fatores de risco foram quase duas vezes mais comuns nas mulheres do que nos homens, contabilizando 496.700 casos, contra 295.900 casos de homens.

Segundo os autores do estudo, caso as taxas globais de diabetes e de excesso de peso continuem a aumentar no mundo, os casos de cancro atribuíveis aos dois fatores vão aumentar em 30% nas mulheres e em 20% nos homens, até 2035.

Para fazer o estudo os investigadores recolheram dados sobre casos de 12 tipos diferentes de cancro em 175 países, em 2012. E combinaram esses números com dados sobre excesso de peso e diabetes.

Os dois fatores contribuíram para um quarto dos cancros do fígado no mundo e para mais de um terço dos cancros endometriais (útero).

Nos homens o cancro do fígado era o mais comum causado pela diabetes e obesidade, seguindo-se o colorretal. Nas mulheres prevaleceu o cancro da mama, seguindo-se o com origem no endométrio (revestimento do útero), sempre tendo em conta os dois fatores, diabetes e obesidade.

A maioria dos casos de cancro foi detetada nos países ocidentais, sendo o cancro da mama o mais comum. No leste e sudeste asiático o cancro do fígado, devido à diabetes e excesso de peso, foi o mais representativo.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.