Dessalinização do mar para resolver crise hídrica coloca problemas

Dessalinização do mar para resolver crise hídrica coloca problemas

 

Lusa/AO online   Internacional   21 de Mar de 2018, 18:25

O enviado especial da ONU para os oceanos considerou hoje que a dessalinização da água do mar em grande escala, para enfrentar a falta de água potável, levanta problemas.

Peter Thomson participou hoje no 8º Fórum Mundial da Água, que decorre até sexta-feira em Brasília, no Brasil.

Segundo Peter Thomson, a dessalinização da água, apesar de ser uma alternativa, coloca problemas, como o que fazer com o resíduo de solução salina resultante do processo.

Para o enviado especial das Nações Unidas, "é necessário trabalhar" nas soluções que "são financeira e cientificamente viáveis".

Thomson entende que diferentes respostas para a crise mundial de água potável devem ser enquadradas numa solução mais ampla e que primeiro deve ser travado o aquecimento global, que está a afetar os oceanos.

"Colocámos o mar em grande perigo", assinalou, enumerando o aumento da temperatura da água, a pesca excessiva e a poluição com plásticos.

Peter Thomson recordou ainda que os gases com efeito de estufa "aquecem os oceanos, elevam o nível da água e privam-na de oxigénio, tornando mais difícil a vida marinha.

Um relatório da ONU, divulgado na segunda-feira, estima que a falta de água potável poderá atingir 5,7 mil milhões de pessoas até 2050.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.