Fado

Decisão da Unesco será conhecida "o mais tardar" domingo


 

Lusa/AO Online   Nacional   25 de Nov de 2011, 06:40

O presidente cessante da Comissão nacional da UNESCO, embaixador Fernando Andresen Guimarães, disse  que durante a tarde de domingo será conhecida a decisão da inscrição do fado como Património Imaterial da Humanidade e que há "excelentes expetativas".

"Estou convencido que o mais tardar durante a tarde de domingo será a decisão e temos excelentes expetativas. Mais que excelentes. Ficaria muito surpreendido que algo inesperado acontecesse", afirmou aos jornalistas.

O embaixador Fernando Andresen Guimarães falava no Centro de Convenções Internacional de Bali, em Nusa Dua, onde decorre o VI Comité Inter-Governamental da Organização das Nações Unidas para a Ciência, Educação e Cultura (UNESCO).

"Estou convencido pessoalmente, não sei se me estou a adiantar um bocado, que o fado será inscrito no domingo [como Património Imaterial da Humanidade], como estou convencido que em termos de imprensa mundial será o fado um dos que vai ser descrito", acrescentou o embaixador português.

Segundo o embaixador, ninguém vai numa emissão enumerar todas as inscrições e estou convencido que o fado vai ser uma das bandeiras da reunião".

O embaixador Fernando Andresen Guimarães sublinhou também a qualidade da candidatura.

"Há um aspeto que acho que é muito importante e que é de louvar que é a qualidade da candidatura. A candidatura está extremamente bem-feita, está muito bem preparada, demorou muito tempo a fazer, foi feita com grande profissionalismo, por gente de grande competência e isso não sou só eu a dizê-lo, e eu seria suspeito porque estive envolvido nela, mas é o que todos os nossos parceiros, todos os colegas, todos os países dizem e todos os peritos e do secretariado", referiu.

Os 24 delegados que integram o VI Comité Inter-Governamental da UNESCO, presidido pelo embaixador da Indonésia junto daquela organização da ONU, decidem domingo num total de 49 candidaturas se inscrevem o fado como Património Imaterial da Humanidade.

Ao lado da candidatura portuguesa, o Comité de Peritos recomendou também a do Peru, sobre o conhecimento dos jaguares pelos xamãs da tribo ameríndia colombiana Yurupari, a da música Mariachi, apresentada pelo México, a das danças Nijemo Kolo da Dalmácia pela Croácia, a da música e dança tsiattista do Chipre e a da cavalgada de reis da Morávia, pela República Checa.

Nesta categoria entre as 49 candidaturas, Coreia do Sul, China, Japão e Índia detêm o maior número de propostas - seis cada -, seguindo-se a Mongólia com cinco. Com duas candidaturas encontra-se a Croácia, a França, a Espanha, a Turquia e o Sultanato de Omã. Com apenas uma candidatura, além de Portugal, apresentam-se Bielorrússia, Bélgica, Colômbia, Chipre, República Checa, Irão, México e Peru.

Há ainda uma candidatura transnacional partilhada pelo Mali, Burkina-Faso e Costa do Marfim que é a das práticas e expressões culturais ligadas ao "balafon" das comunidades Sénoufo do Mali, Burquina-Faso e Costa do Marfim.

Os 24 Estados que constituem o Comité são: Albânia, Azerbaijão, Burquina-Faso, China, Chipre, Coreia do Sul, Croácia, Cuba, Espanha, Grenada, Indonésia, Irão, Itália, Japão, Jordânia, Madagáscar, Marrocos, Nigéria, Níger, Omã, Paraguai, Quénia, República Checa e Venezuela.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.