Cortes na agricultura na mira dos populares


 

Lusa/AO On line   Nacional   19 de Out de 2010, 06:43

O CDS-PP exige do Governo um esclarecimento sobre o "corte inadmissível" de 80 milhões de euros no Programa de Desenvolvimento Rural (PRODER), na proposta de Orçamento do Estado para 2011, que diz comprometer o financiamento comunitário do setor agrícola.
 

O pedido de uma "resposta clara" seguiu hoje em carta dirigida ao ministro das Finanças, Teixeira dos Santos.

Em declarações à agência Lusa, o líder parlamentar do CDS-PP, Pedro Mota Soares, disse que o Orçamento do Estado para 2011 (OE2011) tem inscritos cerca de cem milhões de euros para o PRODER, menos 80 milhões face ao OE2010.

Para os democratas cristãos, trata-se de um corte "inadmissível" e "chocante", já que, a seu ver, vai comprometer o financiamento comunitário.

"Muito provavelmente, este ano, já não vão existir outras candidaturas ao PRODER e mesmo os fundos comunitários que estão ao dispor da nossa economia podem não ser executados", afirmou Mota Soares, precisando que Portugal está "em risco de perder", inclusive, "verbas relativas a 2009".

O parlamentar lembrou que quanto menos o Estado português investe na agricultura, menos ajuda Portugal recebe da União Europeia.

"Em cada cem euros que são investidos na agricultura, seis são verba nacional, 24 da União Europeia e 70 dos agricultores", exemplificou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.