Coreia do Norte reduz racionamento de alimentos para níveis de 2011

Coreia do Norte reduz racionamento de alimentos para níveis de 2011

 

Lusa/AO online   Internacional   24 de Set de 2014, 11:27

A Coreia do Norte distribuiu pelos seus cidadãos, em agosto, uma média diária de 250 gramas de arroz por pessoa, a quantidade mais baixa em três anos, segundo informou o Programa Mundial de Alimentos (PMA).

O regime de Kim Jong-un, que nos últimos meses tinha conseguido aumentar o racionamento para 400 gramas ou mais, voltou a cortar novamente a quantidade para os níveis de 2011 “devido principalmente à seca na primavera, que afetou a colheita”, explicou o diretor do gabinete do PMA em Seul, Lim Hyoung-joon, em declarações à agência noticiosa espanhola Efe.

Atualmente, de acordo com Lim Hyoung-joon, uma em cada três crianças norte-coreanas sofre de má nutrição, segundo dados da própria agência das Nações Unidas, que – à semelhança de outras instituições, organizações não-governamentais e governos – fornece ajuda aos mais carenciados na Coreia do Norte.

Não obstante o preocupante cenário e a redução do racionamento em agosto, o diretor do PMA em Seul afirmou que a situação alimentar “é um pouco melhor” em 2014 comparativamente a anos anteriores.

A Coreia do Norte impôs a partir da década de 1940 um sistema de racionamento para alimentar a sua população, o qual sucumbiu na grande crise dos anos 90, provocando fome generalizada que fez entre um e três milhões de mortos, de acordo com estimativas.

Desde então, o regime norte-coreano não conseguiu reativar completamente esse sistema e ainda hoje o racionamento não chega a todas as zonas do país, pelo que a alimentação de boa parte dos cidadãos depende da ajuda externa.

O PMA tem como objetivo ajudar aos 2,4 milhões de mulheres e filhos considerados como a franja mais vulnerável, assim como as famílias carenciadas na regiões onde é maior a insegurança alimentar no país de 25 milhões de habitantes.

Contudo, a agência assegura carecer de fundos suficientes para cumprir esta meta, sublinhando que “precisa de mais dadores”.

A Coreia do Sul anunciou, na semana passada, que no próximo ano vai aumentar em 81% o orçamento para ajuda humanitária à Coreia do Norte até 78.100 milhões de won (58,3 milhões de euros).

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.