Congresso internacional em Madrid debate relações ibéricas


 

Lusa/Ao online   Nacional   11 de Dez de 2007, 07:12

Historiadores e investigadores portugueses, espanhóis e de várias nacionalidades participam a partir de hoje em Madrid num congresso internacional dedicado às relações entre as coroas ibéricas na perspectiva da Casa das Rainhas.
Segundo uma nota da Universidade Autónoma de Madrid, que organiza o congresso, o estudo desta instituição realenga "permite conhecer como actua a mulher quando detém o poder".

    A Casa da Rainha foi "uma instituição paralela" ao Rei, chefe de Estado, que em Portugal "teve peculiaridades" que a tornaram diferente das suas congéneres europeias, explicou à Lusa Paula Marçal Lourenço, uma das participantes no Congresso.

    O congresso, que se intitula "As relações discretas entre as monarquias espanhola e portuguesa: As Casas das Rainhas (séculos XV-XIX). Arte, música, espiritualidade e literatura", realiza-se na Universidade Autónoma de Madrid a partir de hoje até 14 de Dezembro.

    O congresso divide-se em seis partes e Paula Lourenço participa na primeira, intitulada "Os estudos sobre as casas das rainhas".

    A casa da rainha, explicou Paula Lourenço, é uma instituição que data do século XII em Portugal.

    Apesar de ter "similaridades" com as suas congéneres europeias, em Portugal "além do poder patrimonial era dotada de terras, designadamente na região Sul e da Estremadura, para as quais a Rainha nomeava fiscais e juízes".

    A Casa da Rainha tinha os seus funcionários próprios como o mordomo-mor ou camareira-mor, explicou a catedrática.

    Paula Lourenço vai apresentar as perspectivas metodológicas actuais do estudo das casas das rainhas nos dois países, do século XVI ao XVIII.

    Catedrática da Universidade de Lisboa, Paula Marçal Lourenço apresentou uma tese sobre esta instituição real de 1640 a 1744, sendo autora de uma biografia do Rei D. Pedro II, tendo em vista a edição de estudos sobre as rainhas Leonor e Carlos Joaquina.

    Além de Paula Marçal Lourenço, participam os investigadores portugueses Pedro Cardim, António Ventura, José Viriato Capela, Laurinda Abreu e José Subtil.

    O congresso integra ainda participações espanholas, checas, italianas e francesas, nomeadamente dos investigadores Martínez Millán, Pavel Marek, Lina Scalisi, Pierpaolo Merlin, ou Marie-Bernadette Dufourrcet Bocinos.

    Além da questão metodológica, os investigadores irão abordar os seguintes temas: organização das casas das rainhas, etiqueta e redes clientelares, correntes espirituais e patronos religiosos, a música, e ainda literatura e arte.

    Uma nota da organização do congresso afirma que o estudo das casas da rainha permite "ver de forma clara como a mulher actua quando detém o poder", o que constitui "uma excepcional linha de investigação".

    A mesma nota salienta que este encontro na capital espanhola permitirá a troca de informações entre os vários investigadores.

   

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.