Confiança dos consumidores sobe para máximo de 2002

Confiança dos consumidores sobe para máximo de 2002

 

Lusa/AO online   Economia   27 de Nov de 2014, 10:56

O indicador de confiança dos consumidores portugueses voltou a aumentar em novembro, atingindo o valor mais elevado desde maio de 2002, enquanto o clima económico diminuiu ligeiramente, depois de ter estabilizado no valor máximo desde julho de 2008.

 

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), o indicador de confiança dos consumidores (calculado através de inquéritos a particulares) melhorou em novembro, alcançando os -22,3 pontos (-24,0 pontos observados em outubro) e atingindo o valor mais elevado desde maio de 2002 e prolongando a acentuada tendência ascendente observada desde o início de 2013.

O indicador de clima económico (calculado através de inquéritos a empresas de vários setores de atividade), por sua vez, diminuiu ligeiramente para os 0,5 pontos (dos 0,7 pontos observados em outubro), depois de ter estabilizado no valor máximo desde julho de 2008.

De acordo com o INE, em novembro, o indicador de confiança diminuiu nos Serviços e aumentou na Indústria Transformadora, na Construção e Obras Públicas e no Comércio.

“A recuperação do indicador de confiança dos consumidores no último mês [novembro], deveu-se ao contributo positivo de todas as componentes, sobretudo das expetativas sobre a evolução da situação económica do país”, refere o INE.

Os indicadores de confiança do INE são calculados através de médias móveis de três meses dos saldos de respostas extremas a inquéritos. Um número negativo significa que houve mais respostas pessimistas do que otimistas.

A Comissão Europeia divulgou hoje, por sua vez, que o indicador de sentimento económico para Portugal piorou em novembro, depois de dois meses a subir, mantendo-se abaixo da média dos países da União Europeia (UE).

O indicador de sentimento económico calculado pelo gabinete de estatísticas da Comissão Europeia mede a confiança e as expectativas dos consumidores e empresas quanto à economia.

Em Portugal, o indicador passou de 103,1 pontos em outubro para 102,3 pontos em novembro.

O INE e o Eurostat usam metodologias diferentes para calcular os seus indicadores.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.