Comissões da UNESCO da Europa e América do Norte debatem geoparques em Arouca


 

Lusa/AO Online   Nacional   21 de Mai de 2015, 12:22

As delegações dos geoparques sob proteção da UNESCO na Europa e na América do Norte reúnem-se na sexta-feira e no sábado em Arouca, para debater procedimentos legais que permitam equipar esses patrimónios geológicos a outros territórios classificados.

 

Alemanha, Bélgica, Eslovénia, Eslováquia, Espanha, Estónia, Grécia, Lituânia, Polónia, Portugal, Reino Unido, Suécia e Turquia são os países cuja representação no encontro está já confirmada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, que não avança, contudo, quais as participações esperadas com origem em território americano.

O objetivo dessa reunião técnica é, em todo o caso, definir os conteúdos e propostas a debater no próximo mês de novembro em Paris, na Assembleia-Geral da UNESCO - Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura.

"Esta reunião é a primeira realizada em Portugal pelas Comissões Nacionais da UNESCO na região da Europa e América do Norte sobre o programa científico 'Global Geoparks of UNESCO'", declarou à Lusa a representante da comissão portuguesa desse organismo, Elizabeth Silva.

"Neste encontro irão ser debatidos os estatutos e as linhas orientadoras desse programa, promovendo-se assim uma reflexão conjunta sobre o papel que as comissões nacionais devem ter nos processos de candidatura a novos geoparques e na revalidação dos já inscritos na Rede Mundial de Geoparques", acrescentou.

O comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros realça, aliás, que, "em abril, o Conselho Executivo da UNESCO recomendou à Conferência Geral dessa organização a aprovação dos estatutos e linhas orientadoras do Programa 'Global Geoparks of UNESCO', aguardando-se agora a sua formalização em novembro de 2015".

Para Margarida Belém, diretora da Associação Geoparque de Arouca e vice-presidente da autarquia local, "é significativo que uma reunião desta natureza, em que irão ser tratadas matérias fundamentais para a consolidação dos geoparques, se realize no território" do concelho, que desde 2009 integra a rede mundial de espaços reconhecidos como património geológico da Humanidade.

"Primeiro acolhemos o Congresso Internacional de Geoturismo, em que fomos pioneiros e lançámos bases para o reforço do setor, e depois a Conferência Europeia de Geoparques, em que pudemos ter em Arouca representantes de praticamente todos os territórios classificados", recorda a autarca. "Agora esta reunião também é, portanto, um sinal de que as boas práticas, implementadas pela nossa equipa no território, são tidas em conta pelos altos responsáveis da UNESCO", realça.

O Geoparque de Arouca envolve uma área de 327 quilómetros quadrados (coincidente com todo o território do município) e abrange um total de 41 geossítios - termo técnico para os "sítios com interesse geológico" que, segundo a UNESCO, têm "particular importância pelo seu caráter científico, raridade, encanto estético ou valor educacional".

A Rede Global de Geoparques engloba atualmente 111 desses territórios, entre os quais o de Arouca, o Naturtejo e, mais recentemente, também os dos Açores e Terras de Cavaleiros.

Em todos esses geoparques, a UNESCO supervisiona a implementação de estratégias de desenvolvimento locais e regionais que passam pela sustentabilidade e preservação do território, e pelo estudo e divulgação dos recursos patrimoniais locais, com especial ênfase naqueles cujo conteúdo geológico é de relevância internacional.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.